domingo, 10 de abril de 2011

Afinal a ressurreição parece ser possivel

Hoje, 10 de Abril de 2011, sim, é importante a data, para que se daqui a uns anos este texto for lido, possa ser enquadrado no contexto histórico-politico devido.

Tinha eu ligado a TV na RTP1, e via em resumo uma série de imagens relativas ao congresso do partido socialista, onde surgia em verdadeira apoteose o sr. Sócrates, 1º ministro demissionário, quando senão, de repente, me parece ouvir em voz cava e profunda, vinda de umas quaisquer profundezas, o seguinte “Ei-lo, o nosso Salvador, é ele quem vai tirar o país da merda”.  

Apanhado desprevenido, olhei para de onde me pareceu ouvir aquilo, e era o Pancho, um lavrador velho e flatulento que se peidara, alto e bom som. Minutos antes tinha estado ele ali à porta, com aqueles olhos enormes a olhar para mim, como se fosse incapaz de fazer algo de mal, e por detrás dele via-se a cauda a abanar com tal vigor, que parecia aclamar aquele olhar tão honesto,  dizendo, “Vá lá, dá-lhe outra oportunidade”, e eu dei….

O Pancho levantou o nariz no ar, deu duas fungadelas, e saiu da sala, sem sequer ter sido preciso mandá-lo, eu peguei no comando da TV, desliguei-a e também saí, é que cheirava mal por todo o lado.

1 comentário:

  1. Jonesamiga (o)?

    A ressurreição é mesmo possível. O caso do JC não é único. E o Lázaro? Para vir outro pior, que fique este que vai ter muito que fazer e desfazer.

    Qjs ou abç

    ResponderEliminar