domingo, 22 de maio de 2011

A hora da verdade dói

E agora ?

Agora chegam as consequências do mau aproveitamento que foi dado aos fundos comunitários para o desenvolvimento de Portugal, e as razões para tal ter sucedido, bem, o dedo aponta acusador a classe politica, porque eles são os responsáveis máximos, seguidamente é fácil escolher a classe empresarial nacional, que não esteve à altura do desafio, e vistas bem as coisas a única coisa em que lá demos nas vistas foi com o futebol, que nos encheu o ego, e os bolsos dos jogadores.
Bem vistas as coisas o português é bom quando tem que se safar, então as elites safam-se principescamente.
Os jogadores, enfim, ao menos só enganam o árbitro, já os outros fodem-nos bem fodidos.
Revolta-me essencialmente que a classe politica não tenha conseguido fazer do nosso país, o que devia, o que lhes competia, e em vez disso tenham servido os seus próprios interesses, e sempre achei que isto era algo entranhado na nossa cultura, num xico espertismo tão tipico do Tuga, que urge mudar, e cabe a todos e a cada um fazê-lo. Como é que posso esperar rectidão por parte dos politicos, ou dos outros, se eu próprio não a tiver, se não usar dela quando chega o meu momento?

O cabrão do gajo que vai fazer-me umas obras perguntou-me se quero factura, e disse-o com essas mesmas palavras, "quer factura?", mas os olhos perguntavam-me, "quer pagar mais 4.600 euros?"

Eu pergunto-me para que raio quero a factura, há papel higiénico bem mais barato, e será mais sensato manter a barriga cheia do que o ego inchado, no entanto, qualquer que seja a decisão, dói.

E agora ?

8 comentários:

  1. E agora perguntas ao vigarista quanto é que fica sem factura e depois perguntas-lhe se lhe apetece muito que tu vás fazer queixa dele. Ou se ele acha bem estar a fazer essa pergunta, enquanto tu, lhe enches as parcas, eu sei, mas ainda assim garantias que ele tem, e que só tem porque tu pagas os teus impostos.

    É que isto tem realmente que começar a mudar por algum lado e infelizmente, estamos tão perdidos de principios que só funcionamos na base da ameaça.

    ResponderEliminar
  2. Podes crer Isabel, foda-se pá, um gajo tem coluna vertebral e raios me fodam se não tive sempre uma conduta de cidadania exemplar, mas a verdade é que numeros redondos, transforma-se uma conta de 20.000 aereos numa de 24.600, e bem feitas as contas, um gajo pega nos 4.600 aereos de diferença, enfia-se num avião e tungas, Praga, e vai ao pito a uma Checa, depois mais um avião e tingas, vai ao pito a uma cubana, mais um avião e vai ao pito a uma Californiana, e a coisa bem poupadinha ainda vai ao pito a uma japonesa, ou então fica em casa com a factura numa mão e com a outra tocó bicho.

    Eu sei que fui um tanto rude neste comentário, mas onde eu queria chegar era mesmo ali, neste país de punhetas quem é xico esperto é que se safa.

    Com um bocado de sorte ainda vou ao pito a uma Tuga que aprecie gajos honestos, mas acho dificil, porque conhecendo as mulheres como conheço, elas gostam deles bandidos.

    ResponderEliminar
  3. Conclusão, evacuaste nos princípios e não pediste factura...

    ResponderEliminar
  4. Acho que vou pedir factura e mudar o meu nick para Donkey Jones.

    ResponderEliminar
  5. A ver se já consigo comentar ...

    Ó Junkie, qué que dizia o José Régio, que eu já não ma lembro?

    ResponderEliminar
  6. Que diria o José Régio sobre isto não sei, mas sei que isto não passa de um conto, já o conto não passava de realidade, mas voltando aqui que não estou noutro lado, a verdade é que nunca pergunto se dá para pagar sem factura, e isso já é bem mais que a grande maioria da malta.

    ResponderEliminar
  7. "... mas eu sei que não vou por aí"


    Está uma gaja a tentar estabelecer um paralelismo engraçado e tu nada.Depois queixam-se que as mulheres isto e mais aquilo.

    Pá, é bem mais do que a grande maioria da malta, é sim senhores e só não te parebenizo pela atitude, porque é a tua (nossa) obrigação. Já por resistires à tentação, é de Gajo.

    ResponderEliminar