terça-feira, 7 de junho de 2011

Claro que não

Até onde me consegues fazer chegar, perguntava o ambicioso a si próprio, e perguntava-o com uma intensidade que esperava proporcional ao seu próprio sucesso, porque era ambicioso por natureza e não por decisão, e mesmo que fosse por decisão talvez não fosse a acertada, mas não podia perder-se agora em dúvidas destas, que o sucesso esperava-o.

E aqui entra a minha dúvida, é a natureza da pessoa passivel de efectivas mudanças ?
Claro que pode um ambicioso por via do insucesso tornar-se num acomodado, ou o contrário, um acomodado tornar-se ambicioso por vias de sei lá o quê, talvez do amor.
E esta coisa do ambicioso e acomodado, ou optimista e derrotista, são somente exemplos, porque a duvida era aquela da natureza poder ser mudada por decisão.

Eu sei a resposta, portanto a pergunta era de retórica.

12 comentários:

  1. Adoro perguntas que se respondem a si próprias. Eu também sei a resposta, mas não a comparo contigo, ainda mais porque a minha deve ser maior.

    ResponderEliminar
  2. Por decisão, pode. Definitivamente, pode.

    Há-de ser mais ou menos como um viciado em qualquer coisa, a reincidência será sempre um fantasma muito presente, mas a dificuldade maior nem será esta. O que lixa o assunto, é a trabalheira que dá chegar-se a essa conclusão: eu posso decidir.

    ResponderEliminar
  3. Rafeirolas, a minha é suficientemente grande para preencher qualquer necessidade de esclarecimento, mas não tão grande que tropece nela, enfim, grande o quanto baste.

    ResponderEliminar
  4. Isabel Maria, Uma coisa é decidir ser diferente, e com grande força de vontade conseguir, outra bem diferente é realmente mudar a sua natureza, e aí claro que não, por decisão não mudas a tua natureza.

    Mas isto das nossas discordias é a nossa natureza, portanto tu decide e torna-te concordante comigo a ver se és capaz.

    ResponderEliminar
  5. Ok. Concordo na medida em que não a podemos alterar, porque isso seria quase como mexer em ADN's emocionais. Mas conseguimos educa-la, de forma a não a deixarmos rumar em sentidos anteriormente viajados, se nos foram prejudiciais.

    Portanto,fui capaz e ainda acrescentei, que é como se deve fazer em qualquer relação que se preze.




    *cof!*

    ResponderEliminar
  6. Isabel Maria, onde quer que mexas, acrescentas, isso já percebi, só não percebi essa da relação.

    Mas pensando bem, já trocamos tantos comentários, que se pode chamar a isto uma relação.Não se pode dizer que sejamos amigos, mas trocamos empatias, então pois não trocamos?

    ResponderEliminar
  7. Olha lá, assim fora de todo o contexto da coisa, és tu não és? Que lá vais, nem nome, nem nada.

    ResponderEliminar
  8. Olha só a Laura, toda ela, sem tirar nem pôr.

    Sou eu que vou onde ?

    Se te referes ao teu blogue, se calhar sou mesmo.
    Olha lá, mas tu achas que só para deixar lá um misero comentário me ia dar ao trabalho de preencher um questionário ?

    Não me faltava mais nada.

    Olha, se queres que te diga, boa merda aquela excentricidade de livro de visitas.

    ResponderEliminar
  9. "Claro que sim!"

    que eu é que mando.


    Parabéns Junkie Jones! que contes muito e muitos, sempre rodeado por quem te quer bem, cheio de saúde e com esse mau feitio que te apanagia.O resto vem por arrasto.

    Pega lá chuáque que um dia não são dias.

    ResponderEliminar
  10. Outro beijo para ti Isabel Maria, com os votos de tenhas muitos e bons momentos pela frente.

    E aqui tu não mandas nada, claro que não, quem manda é o meu mau feitio, aliás abri este espaço especialmente para ele.

    ResponderEliminar
  11. Olha lá estás a protestar contra a caixa de comentários da wordpress? Já agora!

    Vê lá se te custava uma nota roxa no fim do texto pores lá o teu nome pá.

    Ter-se nascido exclusivamente, ali com todo o propósito, num dia de feriado, não é para todos, está claro.

    ResponderEliminar