sábado, 30 de julho de 2011

O meu nome é Fire, SpitEfire

Sem pachorra para grandes caminhadas, decidi-me hoje a encontrar um lugar no meio da multidão de veraneantes, que por ali abancam junto ao mar, nos locais mais próximos das esplanadas e parques de estacionamento, até foi mais fácil do que esperava, a maré estava a descer, e o areal ia ganhando terreno ao mar, lentamente. Normalmente procuro locais onde possa ter só para mim uma area que possa ser expressa em m2, com dois dígitos à esquerda da virgula, e se possível até, atingir os três dígitos, mas hoje não estava para isso, e o local até era agradavelmente bem frequentado conforme opinião das minhas pestanas que lá se foram deliciando com bronzeados em corpos extraordinariamente femininos.
Um dos meus desportos favoritos na praia é dar uns mergulhos, fumar um charro, e ficar ali a sentir o corpo secar ao sol, e os miolos a derreterem.
Como de costume, inicialmente a sensação de que não estou bem ali, uma sensação de não pertença, a presença das vozes que me rodeiam aumenta consideravelmente, mas com o passar do tempo, e com o leitor de mp3 a fazer a selecção musical, as vozes começam a afastar-se, a sensação de espaço aumenta, o passar do tempo a diluir-se, e o pensamento divaga entre as recordações e os sonhos acordados, tanto podia estar ali como quando me lembrei de ir ver o que era um chat.
Na entrada tinha que escolher um nick, e que nick escolher, tanto fazia, a primeira coisa que me veio à cabeça foi spitfire, que escrevi com um erro propositado conforme o som que se formou no meu pensamento, Spitefire.
Aquilo dos chats, que eu tinha como coisa ridícula, começou a parecer-me interessante, muitos nicks a comentarem o que muito bem entendiam, várias conversas decorriam ao mesmo tempo, e como era divertido mandar umas bocas lá para o meio, e como me divertia quando aqueles mais atentos replicavam que o meu nick estava mal escrito, ou respondiam às minhas provocações, aquilo era o terreno ideal para descarregar toxinas, e até fazer exercício cerebral, porque nem todos os que por lá andavam eram burros de todo, alguns sim, mas nem todos.
Também havia a modalidade conversa privada, onde poderia entabular conversa com outros nicks, e essa era outra das minhas distracções, chatear quem por lá andava, e como era divertido.  
Poderão estar agora a pensar que eu devo ser um merdoso de um implicativo, que usava aquilo para destilar as frustrações, e podem pensar isso com toda a propriedade, mas não é para fazer a defesa do meu comportamento que aqui estou, estou só a relembrar o local por onde deambulei hoje à tarde na praia.
E como ia dizendo, havia as conversas privadas, e foi aí que conheci a RitaAlice, a personagem do post anterior, nessa altura com outro nick.

224 comentários:

  1. O meu nome é Rida, MargaRida
    Tenho um escaldão na barriga
    Esfreguei com biafine
    Não é nada que me amofine
    Mas acho que estou febril
    Se me orientassem uma broca é que era baril.

    ResponderEliminar
  2. Se da moca ou da MargaRida
    não sei o que se passa em mim
    até já me doi a barriga
    há muito não me ria assim

    Ah gande maggie, abres novos horizontes, o comentário em verso, de agora em diante, quem aqui comentar deve fazer um verso, e só torno a postar quando tiver 200 comentários, e o melhor, é que ficam já a saber que o proximo post será a continuação da novela.
    ou não

    ResponderEliminar
  3. A minha barriguita está em fogo
    Nela grelhava um bife e estrelava um ovo
    Mas nada disto vos iria contar
    Se não tivesse estado a ler a Happy Woman* de papo para ar

    *ainda por cima só diz barbaridades das pessoas do meu signo

    e pronto Junkie,aqui está o meu modesto contributo para os 200 comentários

    ResponderEliminar
  4. Logo vi que aí havia gato.


    Só os extremamente inteligentes vão conseguir perceber esta fantástica piada.

    Os outros podem ir fazendo as quadrinhas paneleiras.

    ResponderEliminar
  5. A Pepita tem razão com essa merda das quadras, e antes que isto se torne numa marchinha popular, ficam os versos para quem os queria fazer.
    Quem tiver talento ou pachorra, ou até ambos, que faça lá os seus versos, mas quem quiser vir cá só mandar umas atoardas, ou até recitar poesia, que o faça, desde que venha.

    Mas não percebi a fantástica piada para pessoas extremamente inteligentes, portantos pá, peço que quem, desse fantástico grupo de personagens, tenha percebido a piada, que a troque por miudos, para que nós os restantes também nos possamos rir.

    ResponderEliminar
  6. Junkie, as quadras foram mesmo muito apanascadas!

    Eu ontem estava muito maricas.Hoje já não. Hoje estou mais Joana d'Arc meets Che Guevara meets Rainha Santa.

    ResponderEliminar
  7. Foram nada apanascadas, mas talvez sejam quando comparadas com quem tu estás hoje.

    Que é que é isso que tu estás hoje?

    E onde se meteram as anónimas pá, como é que esta merda chega aos 200 sem elas?

    ResponderEliminar
  8. É a mistura habitual, pá. A Joana e o che sempre prontos para a luta. No fim depois correu mal, mas no fim vai correr mal a todos.
    A Joana tinha pinta, já o Bukowski dizia.
    A Rainha Santa foi uma porreirinha, desenrascada. Naquela confusão com os pães, lá conseguiu um cambalacho com o gajo lá de cima e deu a volta ao marido. Por uma boa causa , claro.
    Depois levou o pão aos pobrezinhos e avisou: pessoal se tiver algum bocadinho de terra, é normal porque foi tudo ao chão. Soprem e comam.
    Se já trouxesse manteiga é que era pior.

    É uma boa mistura, acho eu. Ainda por cima o Che era bem giro, uma boa companhia!

    ResponderEliminar
  9. Ah, post novo e tal. Sim. Lindo. na na na la la la.

    Spite de quê, de cuspir? de ái spite on iú!

    porra, tenho que parar de dormir todo o dia...tá aqui qualquer coisa mal, tão não é que percebi a piada da ameba?? foda-se abrenúncio.

    ResponderEliminar
  10. Não, spite de Ameijoas à Bolhão Pato.

    A sério, nem eu mereço isto, foda-se!

    ResponderEliminar
  11. Tá calada cara d'osga, alguém se te dirigiu, peracaso? vai é masé pra debaixo do chaparro contar o gado ou assim, mas ó que caralho, até de férias tenho que t'aturar??

    e só fala de comida a orca. vai ser lindo pra me caberes na porta vai.

    ResponderEliminar
  12. Maggie, caralho pá, tu devias criar um blogue, olha só no teu comentário a matéria prima que para aí vai.
    A Rainha Santa é alguma referência à Isa ?
    E os outros quem eram?

    E por falar em Isa, minha cara, explicar o significado do spite era nos tempos daquele chat, agora a conversa é outra, e aquilo passou a estorinha.
    Finalmente um elogio ao post "Lindo", obrigado, mas explica lá então a piada, tira lá o coelho da cartola.

    ResponderEliminar
  13. Jokes Junie, Dissecar piadas é como dissecar rãs. Se se dissecam, morrem.
    Esta foi de borla que hoje estou prá amar.

    ResponderEliminar
  14. ahahahahahah

    hoje tou prámar .. tá boa. ó melher, tu afoga-te.

    Junkie, não disseco nada. não sou tua funcionária e mesmo mque fosse, hj inda é domingo, disseca tu.

    Comi 6 gelados, eu. e mais 4 donuts! nunca na vida me senti tão açucarada, caray!

    'lhem lá, aquilo ca Margarida toma ... é de fumar, snifar, ou são só coisas que andam aqui no ar?


    pimbas, rimou.

    ResponderEliminar
  15. A Pepita hoje está a dar borlas, como se houvessem borlas.

    Ai que ainda vou ter que ser eu a contar a estorinha toda, e isto é coisa para demorar séculos, haja paciência e longevidade.

    ResponderEliminar
  16. Comprime, bébé.
    Até porque duvido que haja quem tenha pachorra pra ouvir tudo tim tim por tim tim, dasse, que pra desgraças já chega sabermos co natal tá aí á porta tarda nada e nós co subsil cortado ao meio. Zipa. Reduz. Abrevia. E despacha lá a cena duma vez por todas.

    ResponderEliminar
  17. *
    à


    tou um doce eu. um cadinho agitada, majum doce.
    se me lamber inda sofro uma overdose d'açucar.

    ResponderEliminar
  18. Pode ser que alguma anónima queira dar um empurrãozinho à coisa e conte também alguns episódios, o lado anónimo da coisa.

    Isabel Maria, tu disseca mulher,que tu tens cá uma dissecagem que até espantajem.
    Pimbas, rimou.

    ResponderEliminar
  19. Pode ser sobre a Isa. Ela quando atira o pão, atira-o sempre bem. Fica sempre com a manteiga virada pra cima.

    Ó Isa eu não sei bem. Penso que é de nascença. Nasci careca, não sei se é sintomático de alguma coisa e mais tarde quando me mandavam dar beijinho, eu mordia. Mas já passou! Agora só dou beijinho!

    ResponderEliminar
  20. Sim, zipa que a malta depois quando quiser, se quiser, abre-te isso.
    Salve seja.

    Há borlas, sim. Acabei de te emprestar uma.
    Ingrato!

    ResponderEliminar
  21. Mas isto lá é merda que se zipe, quem quiser ouvir a estorinha, tem que ouvi-la toda tim tim por tim tim, e apesar de bem se ter queixado quem já a ouviu, não resistiu a ouvir também os desnecessários detalhes.

    Pepita pá, tu não sabes rimar ? é alguma deficiência de nascença, como ali a Maggie que nasceu careca ?

    ResponderEliminar
  22. Jones my friend, perdoa a franqueza mas tenho mesmo que te dizer que és uma 'caria a fazer rimas. Espero que noutras coisas rimes com mai brilho. Que t'arrimes, por assim dizer.
    Ó Maguiga, porra, isto até me estava a correr bem, até tentei nem sequer ler ali aquela parte que me comparam á santa e tudo, que prontes, uma 'soa tá assim p´ró mais bem disposto e há certas e determinadas miudezas que se lhe passam a modos que indiferentes. Mas agora pá, se não há drogas, tão aproveito e reclamo de tudo. Da falta das agorinha mesmo referidas mas e tembém, só não é sobretudo porque sei lá, da cena da santa. Pás, a subserviência desa gaja lá ao rei, fez-me sempre confusão. Vocês lembram-se como nos livros de História, aparecia sempre a imagem dela caquelas coisas no regaço, e assim de cabeça baixa?

    Poizatão. Na. Se fosse comigo era: gajo, tu vai é reinar e deixa-me cá em paz mazós meus pobrezinhos. E v~e lá se mandas dar lustro às esporas. Seu porcalhoto.

    ResponderEliminar
  23. AHAHAHAHAHAHAHHA


    o que me rio das merdas que escrevo, não vos passa p'las moleirinhas.

    ai que caralho.

    com erros e tudo, NINGUÉM MEXE NAQUELA MERDA!

    ResponderEliminar
  24. ... ai ...
    esqueci-me que não tou no meu blog...


    FAXAVOR E TÓBRIGADA.


    pronto.

    ResponderEliminar
  25. Isa my friend, porque dizes que queres que rime com mais brilho, peracaso estás a pedir-me que te puxe o lustro?

    ResponderEliminar
  26. "rio" tá bem escrito ..?

    eu rio tu ris ele ri, nós rimos vós ris ele riem ..

    tá.

    acho.

    sa foda qué lá saber.

    Pode ser que seja isto um chamariz prá paneleiragem costumeira do anonimato & Ca.

    (hoje que quero não aparece nenhum)

    ResponderEliminar
  27. Rio está bem escrito pois, vê lá não te molhes.

    Mas nós rimos quem? Tu vês mais alguem a rir-se pá ?

    ResponderEliminar
  28. hã? pá, tu não m'indisponhas, se fizeres o obséquio. Que porcaria de mania de não lerem o que escrevo. Chiça. Eu lá disse que "queria", gajo,eu disse "espero". Pró teu próprio bem. Tás sequinho de saber que o meu lustro só tem um puxador.

    Maçada.

    ResponderEliminar
  29. Isa, eu com santos e santas não me entendo mas esta gaja tem piada, pela tanga de lenda que lhe arranjaram.

    Ainda pensei na Madre Teresa, mas afastei logo a ideia, porque era um coirato que destoava ao lado da Joana e do Che. A Isabelinha fica melhor.

    Se ela aparece sempre de cabeça baixa, pode nem ser subserviência, pode ser jeito que lhe ficou, sei lá de qualquer coisa que ela tinha de fazer, de joelhos... um gesto pio, talvez...

    ResponderEliminar
  30. "Nós", pode muito bem ser eu e mais eu e mais a quantodade toda de eus que eu tenho dentro de eu. Ora essa. Por acaso preciso mesmo de mais alguém pra rir comigo, prálém de migo, Séquéra bom. Eu, sou autosuficiente!

    ResponderEliminar
  31. Isa, esperas para meu próprio bem amor? Só mesmo tu Rainha Santa, e gosto tanto de te imaginar com esse jeitinho de cabeça baixa, como é que é? subserviencia?

    ResponderEliminar
  32. Isso do "gesto pio", é cousa inda muito em voga, nos dias que correm. Os sacristãos que o digam.

    Temho pra mim que coisas pias com a coroa posta, sei não ... soa-me a falta d'humildade. sei lá.

    ResponderEliminar
  33. O rei se calhar era um gajo que gostava de bj.

    ResponderEliminar
  34. Subserviência. Pkê, tá mal escrito? não sei subservir, mas escrever acho que consigo. Olha pó parvo. Parvo. ai já tinha escrito ...

    isso da je de cabeça baixa, opá, ó Junkie, é daquelas coisas: é ver pra crer. ou seja: nunca.

    S. Tomé fodia-se com esta. olarilólé.

    ResponderEliminar
  35. Quero dizer,bj com coroa posta. Um fetiche.

    ResponderEliminar
  36. E as anónimas que não aparecem?
    Aquilo é gente de tempo maiusculo, o Tempo, e não vinha agora aqui estragar as unhas por tão minuscula causa.
    Certamente não era gajo, porque, e ainda bem, gajo algum manifesta interesse em visitar esta merda, quanto mais comentar ?

    ResponderEliminar
  37. hã?


    pás, a sério, se tão a fumar alguma coisa também quero carago, assim entendia-vos melhor e tudo.

    Margarida: estamos a falar de blow jobs? é que se estamos, continuo a achar má a postura. Mas vá, aí já se justificava o empenho. pronto.

    ResponderEliminar
  38. Que eu cá sou pela absoluta felicidade conjugal. cada um é como é e na privacidade da alcova ninguém de fora mete o bedelho.

    ResponderEliminar
  39. Agora um pequeno aparte, por terem falado em fetiches, lembrei-me do tempo em que me imaginava debaixo da secretária da responsavel dos recursos humanos lá de onde faço pela vida, a dizer-lhe, "ó não sei quantas, chama-me mónica"

    adiante,

    as anónimas ?

    ResponderEliminar
  40. Ó caralho, já temos a Rainha Santa a fazer um broche ao D. Dinis.
    Pensas que não será um tema interessante para as putativas anónimas?

    ResponderEliminar
  41. Blow jobs aqui? É pá, não vejo mais nenhum gajo pá, a coisa é capaz de ser comigo pá.

    ResponderEliminar
  42. ahahahahahahahahah


    boa margarida, muito boa.

    esta gaja faz-se, olá se se faz. orgulho da isa, é só o que vos digo.

    Vou aos donuts.

    ResponderEliminar
  43. Eu nunca fiquei de cabeça baixa depois de subservir.

    Pá, não tens aqui três miúdas com assuntos interessantíssimos? Para que queres anónimas?
    Se isto se admite!

    Parvo!

    ResponderEliminar
  44. É pá, elas podem não ser assim muito dadas ao sexo, podem ser mais de outros prazeres menos palpáveis, como o silêncio por exemplo.

    Porque o silêncio também é sexo, não é? Claro que é, com o silêncio pode foder-se alguém, ou por alguém ser fodido.
    Fetiches...

    ResponderEliminar
  45. Três miudas com assuntos interessantissimos? Onde?
    Onde estão as miudas, são boas ?

    ResponderEliminar
  46. Olha, agora foste bem, gajo. Eu cá faço resmas disso tudo, assim nisso tudo.

    ResponderEliminar
  47. Junkie, o silêncio pode significar que não há nada para dizer, que o esquema não resultou, que era um déjà vu que até um ceguinho sem cão e sem bengala, topava.

    ResponderEliminar
  48. Bem, a verdade é que um gajo está para aqui a mandar umas bocas e tal, e afasta-se do assunto, não é?

    Afinal todos estes comentários estão ali pendurados num post,como se fossem uma estalactite a crescer, e ninguém diz se está a gostar dos posts.
    Que é que vocês estão a achar da RitaAlice e do Spitefire?

    ResponderEliminar
  49. Vais contar a novela ou é para continuar nesta merda?

    ResponderEliminar
  50. Vê lá se treinaste bem o sotaque mexicano, ó Junkie.

    Sou toda ouvidos.


    olhos.

    ResponderEliminar
  51. É para continuar nesta merda, neste não fode nem sai de cima, até aos 200 comentários, e depois faço novo post em que dedicarei mais algumas linhas à novela.

    ResponderEliminar
  52. (enquanto ele põe o sombrero, vou cos cães à rua. tudo eu!)

    ResponderEliminar
  53. Tu põe-me bem esses olhos na novela Isa Maria, que eles vão secar, mas também vão verter rios de tristeza, e lágrimas de alegria.

    Mas por enquanto, ainda falta um coche para chegar aos 200.

    ResponderEliminar
  54. Um dia o SpiteFire encontrou a RitaAlice que nessa altura ainda se chamava AlmaMinha.
    Este nome atraiu desde logo o SpiteFire porque pensou que AlmaMinha fosse uma mocinha de nome árabe.
    Tudo bem, como é tudo ao princípio, mas rapidamente apareceram os primeiros obstáculos na forma de vogais.O e nele e o a nela. A coisa piorava cada vez mais e o gajo queria cuspir fogo mas não conseguia, tinha o é atravessado na garganta.
    AlmaMinha queria acalmá-lo, recitava-lhe Camões, mas ele nada.Acabou mesmo por mandá-la para o Camões.
    AlmaMinha mergulhada em grande tristeza, mudou de nome para RitaAlice e nunca mais apareceu ao SpiteFire.
    Trabalha agora num spot a fazer unhas de gel da parte da manhã e depilação de sobrancelhas da parte da tarde.

    Foi assim que eu entendi os posts e gostei muito.

    ResponderEliminar
  55. Não Maggie, não foi bem assim, mas é uma estorinha alternativa bem esgalhada, porém pouco certeira, se mais alguém quiser fazer uma tentativa, faça favor, um peluche para quem acertar.

    Um pénis de peluche.

    ResponderEliminar
  56. ó que chatice já não levo o pénis de peluche!

    ResponderEliminar
  57. Não fiques triste Maggie, simpática como és pode ser que ainda ganhes um de carne e osso.

    ResponderEliminar
  58. Agora que já postei, já posso opinar.

    Spite fire meets a não sei quê Alice lá no chat dos engates. Ora já se sabe que o mulherio nestas merdas deixa-se ir, apaixona-se pelas putas das palavras com uma pintarola estonteante, maneiras que dali ao céu, foi um fósforo. Ora, Já se sabe que os homens nestas merdas, são uns merdas, maneiras que o spite deu ao slide derivado de umas impossibilidades de foro tomatal. Sucede que a Alice não sei quê, deu com o spite (interneticamente falando, tá claro) e agora anda numa de fazer o que qualquer mulher com meio colhão faz depois de dar com os despojos daquilo que, em tempos, terá sido um coração; foder-lhe a marmita a torto e a direito.



    Eu li assim e achei a maior das graças.
    Só não rimei, sorry.

    ResponderEliminar
  59. Epá também tem osso? Essa é nova pra mim!

    ResponderEliminar
  60. Pepita, então não rimaste? Rimaste pois, rimaste com merda.

    Mas até a merda em ti tem encanto, sim senhora, estiveste bem, mas também não acertaste, por isso nada de pénis de peluxe.

    Mas não fiques triste Pepita, antipática como és talvez ainda ganhes um de plástico e pilhas.

    ResponderEliminar
  61. Maggie, minha criança inocente, quando tem osso é que é bom.

    ResponderEliminar
  62. Pois quero dizer já aqui que, pensando bem, a versão da Filipa faz muito sentido. Faz pois!

    ResponderEliminar
  63. Ó pá nem tudo o que é duro, rijinho, tem osso.
    Tenho que explicar tudo!

    ResponderEliminar
  64. Se pensas que me podes ofender e sair impune, esquece! Estás fodido.

    Tá claro que a versão da Filipa não só faz sentido, como faz muito sentido. Afinal, sou mulher.

    ResponderEliminar
  65. Maggie, já que fizeste apreciação, e como não posso ajudar mais que isto, vou dar uma dica, a versão da Pepita não faz sentido, até porque vai em sentido contrário.

    Se eu fosse gaja gostava que tivesse osso, como gajo desde que o osso lá apareça quando deve, e às vezes até quando não deve, e enquanto assim se mantiver, que se aguente por muitos e proveitosos anos, amén.

    ResponderEliminar
  66. "impossibilidade de foro tomatal"

    só retive isto.

    Pipunheta, tenho que confessar, gosma: é por coisas assim que te amo.

    ResponderEliminar
  67. Então a gaja é que zarpou e tu é que andaste ó tio, ó tio?

    ResponderEliminar
  68. Pepita, eu foder-te e sair impune? Quando muito sairia com o teu olhar de agradecimento e admiração.
    Faz sentido para ti que pensas na RitaAlice como uma mulher vulgar, coisa que ela não é, aquilo é mulher em metamorfose para alguma coisa que espero seja agradavel, caso contrario que se cuide quem estiver por perto.

    ResponderEliminar
  69. Achei o resumo da Pipa um must, mas isso era um bocado óbvio, de ter sido ela a zarpar. Se fosse o oposto, não estava aqui o indigena a fazer post atrás de post e a chamar, em desespero, por anónimo atrás d'anónimo. Certo?
    Por experiência própria, ou seja, a minha, garanto que estaria exactamente a fazer o inverso. Escondidinho no matagal, a ver se com o disfarce do amarelo das folhas, passava despercebido.

    ResponderEliminar
  70. ALEXANDRE PIRES!

    PIPETA! alexandre pires???

    sua vaca!

    ResponderEliminar
  71. Maggie, tu que até me pareces mulher elaborada, como é que pôes as coisas nesses termos, gostas de antes de começar um livro saber desde logo o final?
    Um livro não se resume ao prefácio e ao prólogo pá, e nem me parece que estou a falar com mulheres, que normalmente gostam que as coisas aconteçam
    l e n t a m e n t e

    ResponderEliminar
  72. Ó deuses de todos os ceuzes, quando é que este incauto aprende que todas as mulheres são seres em permanente metamorfose. Dasse, canseira do caralho, é que se explica, explica e o gajo nada.

    OPÁ! assim: fodes o juizo a uma gaja, ela metamorfeseia. Simples caralho, qual é a ciência do assumto? não fodes? ela metamorfeseia tra vez! e por aí vai.

    ResponderEliminar
  73. E vou-me embora que já tou farta desta conversa, qué lá saber da gaja e do cuspe e sei lá mais o quê.

    fui.

    ResponderEliminar
  74. Pá, ó junkie, começas a irritar-me com essa mania de não leres aquilo que aqui fazemos o frete de escrever.

    OFENDER E SAIR IMPUNE, caralhos te esgacem a bufa!


    Isa, parece que não conheces os filhas da puta dos homens, pá!
    Querem, mas não querem. Agora não queres, mas quero eu. Mantêm ali aquela merda em banho-maria, não vá dar-se o caso de apetites surgirem e não terem uma food em modo fast que lhe satisfaça não só as fomes como também s moods e sobretudo o ego.

    Ou então está à espera que a Alice não sei das quantas, desabroche em magenta.
    É uma hipótese.

    ResponderEliminar
  75. Tu não me digas que eu andei aqui a cascar numa gaja que devia era levar com o teu amor e carinho?

    Tu não me faças sentir uma cabra!

    ResponderEliminar
  76. E o pénis de peluche vai para a Isabel Maria!

    Mas só para ela curtir durante uns minutos, porque o desafio era contar uma estorinha minimamente elaborada, e nada desta coisa de desesperado. Pareço-te desesperado?

    É mais para o divertido, e tu pôe lá brilhantina no pénis, que o pêlo fica assim mais para o escorregadio.

    ResponderEliminar
  77. AHAHAHAHAHAHAHAHHA



    leia-se metade daquilo prá Pipa, pelo desabrochar em magenta e a outra metade pró Junkie, pela sua primorosa atribuição do prémio.

    que diga-se em passant, muito agradeço mas dispenso. Podes metê-lo onde te der mais arrumação.

    ResponderEliminar
  78. E agora, esmifrou-se o assunto, e aquilo que eu tinha para postar até ao final do ano, fodeu-se.

    ResponderEliminar
  79. Tinha de surgir uma AlMaminha pelo meio, não fosses tu tu.
    Olha, ainda faltam 120.

    ResponderEliminar
  80. AlmaMinha fui eu que disse.

    Essa do tu tu é comigo ou aqui com o homem do leme?
    Por acaso andei no ballet.

    ResponderEliminar
  81. Portantos, vamos lá ver, por entre tanto comentário apercebi-me, que tu já me tinhas falado na Rita Alice, né? Foi nela que me falaras.

    Cá para mim que não sei nada da história, mas que vou fazer o obséquio de dar o meu bitaite.

    A Rita Alice, é assim uma espécie de touro de raça brava em estado selvagem (se podia ter arranjado uma melhor comparação de força e poder, podia, mas não apeteceu), sendo assim é tipa que sabe muito bem o quer e lhe apetece, ponto final, mesmo que por dentro esteja na merda ou até ela nem perceba bem o que está acontecer, até por vezes mostra que quer, mas diz que não quer, com todas as suas certezas.

    E tu o moço no meio disto tudo, fica confuso, ora quer ora não quer, mas que merda é esta?

    O melhor que o moço tem mesmo a fazer por ele, não é ficar em cima dela, não, existe um limite de território, não podes, ela atira-se que nem uma cadela raivosa, tens de ficar ali ao lado, presente, mas não em cima, tens de dar espaço mas mostrar-te disponível, para uma partilha de silêncio, para um abraço, quiçá para uma queca, senão ela fica com a ideia que desistis-te, e ao fim ao cabo nem tu nem ela, não é isso que querem.

    Eis o problema, é que a sua braveza, a dela, claro, é apenas ela que a pode domar, talvez nem ela saiba bem o que afinal tem dentro dela, provavelmente qualquer coisa recalcada. E tu aí nada podes fazer.

    Mas a sério no fim a melhor solução para o bem do moço é pensar com a cabeça e amar com o coração, e uma boa dose paciência também nunca é demais.

    Resumindo, enquanto ela já tem a sua própria dor e mais nada interessa, tu moço de recados ficas assim com uma dor que não é tua, mas que aceitas como tua, ela.


    Foi tudo ao lado? Pá ao menos dei o meu palpite.

    ResponderEliminar
  82. Laura, para ti também não há pénis de peluche, mas que tens imaginação pá, lá isso é inegável.

    De facto desde o inicio deste blogue, e em alguns comentários, tenho feito algumas referências à dita RitaAlice, de quem adorava ver a expressão ao ser comparada aqui a um touro de raça bravia, no estado selvagem, ou a uma cadela raivosa, mas pronto, esse é prazer que não nos será dado.

    Na verdade não entendo a vossa tendência para partirem imediatamente do pressuposto de que ou há vilão ou vilona, de que há tadinho ou tadinha, de que esta não poderia ser uma estorinha sem esses condimentos.

    Eu que estava disposto ao exercicio de contar somente o meu lado de uma estorinha, o que não se avizinharia nada fácil, e deixar o outro lado ao critério alheio, ou até ao critério próprio, se a isso a própria de dispusesse, vejo aqui cerceada essa intenção pela insaciedade das vossas mentes, que não se contentam senão com imediatismos e rejeitam que possa haver estorinha com outros temperos senão os que estão acostumadas a provar na vossa dieta elementar.

    Até porque isto nunca chegaria aos 200.

    ResponderEliminar
  83. Sério tu achas mesmo que eu estava na corrida para o pénis de peluche? Eu? Logo eu?

    Pelo que te já conheço, há-de ser história para ter contornos, relevos, e dimensões pouco vulgares, talvez a chegar ao surreal. E porquê?
    Porque tu não és gajo para vulgarizar a coisa.

    Por isso para contares a coisa, teria de ser coisa extensa e com tudo o que é pormenor.

    ResponderEliminar
  84. Nunca chegaria aos 200?

    Mas cada uma de nós pode dizer isto:

    http://www.youtube.com/watch?v=XzcWwmwChVE

    ResponderEliminar
  85. Laurocas, sem querer adiantar demasiada informação, admito que estás certa, coisa extensa, dimensões pouco vulgares, talvez a chegar ao surreal é comigo mesmo, e não é de peluxe.

    ResponderEliminar
  86. Quando instalar musica aqui na espelunca, a Maggie será a DJ residente.

    ResponderEliminar
  87. A Isa estará no bar.

    Encostada ao balcão.

    ResponderEliminar
  88. A Laura vai estar a dançar no meio da pista, com headphones e a abanar-se ao som da sua propria musica.

    ResponderEliminar
  89. Quê havia duvidas de eu estar certa?

    ResponderEliminar
  90. A Pepita vai estar a andar à porrada com alguém.

    Esse alguém até pode ser um grupo de pessoas.

    ResponderEliminar
  91. E tu vais estar onde mesmo?

    ResponderEliminar
  92. Faltam as anónimas, que vão estar ali encostadas, junto à entrada, cheinhas de vontade de entrar, mas com medo porque o ambiente é pesado.

    ResponderEliminar
  93. Eu estou no bar a servir as bebidas, ou achas que deixava o pessoal ficar a sêco?

    ResponderEliminar
  94. Tu? Eras capaz era de meter alguma cena marada nas bebidas!

    ResponderEliminar
  95. Não Laura, que eu tou lá e não deixo, as cenas maradas ficam todas por minha conta.

    Só vou se for assim.

    ResponderEliminar
  96. Laurocas, tu não me estás bem a ver a coisa, se houvesse coisas maradas, tomava-as eu, ia lá desperdiçá-las nas bebidas dos outros ?

    ResponderEliminar
  97. Pode ser, como aquilo será uma espelunca da pesada, haverá fartura de cenas maradas para toda a gente.

    ResponderEliminar
  98. Assim está melhor Isa.

    Junkie és um egoísta de primeira.

    ResponderEliminar
  99. Olha chegou aos 100.

    Pois então façam o favor de atingir os 200, enquanto eu vou trabalhar, tá?

    Assim quando chegar estará aqui a história todinha escarrapachada.

    ResponderEliminar
  100. Laura, tu é que és uma cabeça no ar, vou precisar de te explicar novamente que sou egoista, mas não um egoista na comum acepção da palavra?

    ResponderEliminar
  101. Para mim pode ser já vodka caramelo.

    ResponderEliminar
  102. Sim eu já sei Junkie, e então?

    ResponderEliminar
  103. Maggie, por enquanto só temos vinho, a copo.

    ResponderEliminar
  104. Laura, se quiseres perceber rebobina, que eu não consigo andar para trás.

    ResponderEliminar
  105. Já entrou uma anónima mas foi às 6 da matina.
    O que foi aquilo?


    Só se for verde branco à pressão.

    ResponderEliminar
  106. Perceber?

    Já está mais que percebido.

    Tu é que já não me estás a perceber. Deixa lá, eu vou agora mesmo embora.

    ResponderEliminar
  107. Esta merda é tão chunga que nem porteiro tem. Que é que isto quer dizer, perguntas tu, Jonkieyes, com cara de quem levou e gostou? Se não tens porteiro é porque curtes de cá ter as tais "anónimas".


    Eu cá quero uma cola fresquinha.
    Com lima e gelo.

    ResponderEliminar
  108. Maggie, anonima às 6 da matina
    alguma alma à procura de latrina
    e não temos verde branco à pressão
    só vinho tinto do garrafão

    pimbas, rimou!

    ResponderEliminar
  109. Pepita, para que queres o porteiro, tens algum fetiche com porteiros? E com conhecidas como tu, que venham as anónimas pá.

    Ai queres uma cola fresquinha com lima e gelo?
    E por acaso não queres também um pastelinho de belém?

    ResponderEliminar
  110. pá, tu vai-te é tratar
    qu'esta merda já enjoa
    tanta coisa pra fazer
    e andáqui uma gaja boa

    Indio! tu enxerga-te
    faz-te à vida e passáfrente
    que caralho de desconversa
    este gajo mais aquela gente.





    foda-se

    ResponderEliminar
  111. Como assim, herege?
    Acaso não sou sempre um docinho? Acaso não te trato como a mais puras das almas? Acaso duvidas que te amo?
    Estúpido do caralho! O tempo que aqui perco, tempo esse que poderia muito bem ser gasto à procura de pornografia, net afora, e este gajo não tem o minímo de consideração por mim!

    ResponderEliminar
  112. Foda-se Isa, tu sais nas marchas populares?

    Cá para mim és mais de cantar à desgarrada

    os comentários hão-de chegar aos milhares

    E tu ainda sem perceberes nada.




    Pimbas, rimou, mai nada

    ResponderEliminar
  113. Pepita, pornografia, lá está, buscavas pornografia e vieste aqui dar, pensa bem, os designios de deus são insondáveis.

    ResponderEliminar
  114. EU DISSE ISSO?????

    EU DISSE ISSO?????

    EU DISSE ISSO?????







    vá merda.

    ResponderEliminar
  115. ahahahahahha

    o caralho é que num percebi
    percebi e já digeri
    tou farta desta merda
    e nada mais me prende aqui

    quais milhares ... nem centenas!
    vindo de quem tu esperas
    digo-te até que nem dezena...

    ResponderEliminar
  116. Não disseste mas pensaste, aposto que pensaste, Pepita, sua promiscua.

    ResponderEliminar
  117. Vindo de quem eu espero
    nem um ai, nem um tremelico
    mas acho que ainda com esmero
    alguém me fará um belo bico

    pimba!

    ResponderEliminar
  118. Ah, Joynkeei um de nós estás tão fodido da mona.
    Pá, a sério. É que consegues ser mais pain in the ass do que a Isa, imagina só que quando mais ninguém acreditava na quase improbabilidade de tal feito, chegas tu e tungas!, arrasas com toda a esperança que nos habitava a alma.
    Espero que estejas orgulhoso de ti próprio.

    ResponderEliminar
  119. Pepita, por acaso não estou.
    ainda, porque aos duzentos
    comentários o numero não chegou
    ainda, apesar dos teus lamentos.

    Não pá, não estou particularmete orgulhoso se queres que te diga.

    ResponderEliminar
  120. É pra que vejas destrambelhada, este mundo é feito de coisas assim, altas improbabilidades que se tornam em cenas factuais.

    Olha pra ti, por exemplo: já falas. Tá bem que só dizes merda, mas já falas.Vês?

    ResponderEliminar
  121. Não Pepita, não estou particularmente orgulhoso.
    Estaria sim, se cá viessem comentar mais duas pessoas, a RitaAlice e outra pessoa de quem não me consigo lembrar agora.

    Acho que isto chegaria aos 200 em 0,3 segundos

    ResponderEliminar
  122. Ou seja, nós aqui somos só o isco.

    Compreendes loira? o isco.



    (a emenda esteve muito bem Mr.Jones. Sim senhores)

    ResponderEliminar
  123. Isa, sabes lá tu se falo-1ª pessoa singular no presente do indicativo do verbo falar, antes que te arregale os olhos por mor de antiiiiiiiiigas e duras recordações em que ficaste sem os dentes da frente- se mimo, se faço sinais de fumo se o caralho, pá.

    Se não fosse metro e meio de cu, toda tu eras chata. Aliás, redefines a palavra de cada vez que abres a boca.
    Não, não falo de subservir em bem.

    ResponderEliminar
  124. Isa, mas tu julgavas que eras quem, a cinderela, a gata borralheira?
    Vocês são o meio para atingir os meus fins, mas enquanto vamos nos meios, e já que falas em isco, que tal darmos banho à minha minhoca ?

    Não rimou, mas pimbas na mesma.

    ResponderEliminar
  125. Isco?

    Se as gajas cá vierem porque nós demos um bom isco, não devem grande merda à inteligência, mas pronto, deve ser defeito meu que se fosse gajo nem tudo o que reluzisse era oiro.

    ResponderEliminar
  126. Pepita, de facto a Isa tem cada uma, alguém no seu perfeito juizo te usaria como isco?

    Nem um abutre no meio do deserto se aproximaria de ti.

    ResponderEliminar
  127. Pepita, façamos um interregno nesta maratona, e diz cá ao amiguinho, tu és assim toda boazona como queres fazer crer?

    ResponderEliminar
  128. Como eu quero fazer crer?

    Este gajo supera-se na parvoíce de cada vez que respira.

    Eu sou boa e ponto.


    E agora?

    ResponderEliminar
  129. Agora olha, voltamos aos insultos, sua baca, sua cavra.

    ResponderEliminar
  130. Ah, ok, já percebi porque não insultas a Isa.



    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    Esta foi outra só para génios.

    ResponderEliminar
  131. Esta eu percebi Pepita, e tu não estavas lá, a Isa insultou a minha mãe, que convenhamos não era para ali chamada, só porque eu comentei que a "cabra" e a "vaca" eram as duas faces de uma mesma moeda, a "puta"

    Portanto, quem não é génio que se rebole e ria

    ResponderEliminar
  132. Deves ter percebido, deves...
    Aliás, nota-se bem que sim, só pelo teu comentário.
    Enfim....



    Volto quando cá escarrapachares a puta da história da não sei quantas e tu. Desde que contenha pormenores porno-eróticos, claro.

    Fui.

    ResponderEliminar
  133. Vai Pepita, vai e manda saudades, que é coisa que cá não deixas.

    ResponderEliminar
  134. Ai o meu caralho a pilhas, então vou ali um bocadinho correr atrás da chuva e chego aqui, qual miss t-shirt molhada e está tudo num chavascal!

    Ó Junkie ainda esta manhã te chamei o homem do leme e tu tens o barco à deriva!

    ResponderEliminar
  135. Junkie queres que te façam um bico então ouve esta:
    Contratei um senhor, que me fora indicado pela administradora do condomínio, para pintar o meu casebre num fim de semana. O homem apresentou-se e eu perguntei-lhe "então o sr. António é mesmo pintor? não menina sou motorista mas faço uns bicos ao fim de semana".
    Ora toma lá!

    Fala muito em bicos que ainda te vão pintar a casa.

    ResponderEliminar
  136. Pois é Maggie, eu sou o homem do meu leme, mas tenho este jeito de conduzir à deriva.

    E ficam desde já as meninas dispensadas de bico, já basta o que me têm aturado, além de que este blogue já tem demasiados comentários para tão pouco conteúdo.

    ResponderEliminar
  137. Tem até muito conteúdo. Parte dele bastante enigmático, o que o torna ainda mais interessante.

    ResponderEliminar
  138. Maggie, esse é um dos meus truques mais antigos, quando me falta a conversa, digo coisas sem sentido, o que leva os outros a pensarem que não me estão a entender, o que faz de mim um gajo inteligente, profundo, sendo que tudo isso não passa de uma encenação já tantas vezes repetida, que chega a parecer real.

    ResponderEliminar
  139. Sky is clear tonight
    Sky is clear tomorrow
    A star is out
    I reach for one to sparkle in my hand
    A star is out
    I will not touch you, I am just a man
    Sky is clear tonight
    Sky is clear tomorrow
    And every night I shut my eyes
    So I don't have to see the light
    Shining so bright
    I'll dream about a cloudy sky,
    A cloudy sky
    I'll dream about a cloudy sky, a cloudy
    Man was born to love-
    Though often he has sought
    Like icarus, to fly too high-
    And far too lonely than he ought
    To kiss the sun of east and west
    And hold the world at his behest-
    To hold the terrible power
    To whom only gods are blessed-
    But me, I am just a man
    And every night I shut my eyes
    So I don't have to see the light
    Shining so bright
    I'll dream about a cloudy sky, a cloudy sky
    And every night I shut my eyes
    But now I've got them open wide
    You've fallen into my hands
    And now you're burning me
    You're burning me

    Sabes o que é isto, Junkie?

    ResponderEliminar
  140. Eu não sabia, mas o google sim, Just a man.

    ResponderEliminar
  141. Faith no More, Just a Man.

    ResponderEliminar
  142. Bom, muito bom.
    Porque o Mike Patton é fantástico.

    ResponderEliminar
  143. A degradação tem o seu preço
    de trecho em trecho para trabalhar
    a liberdade em troca de miséria
    mancada seria pode matar
    a soma de toda pobreza
    desmoraliza o social
    mão de obra farta escravizada
    direitos humanos é opcional

    Refrão:
    Quanto custa um homem no expresso da escravidão ? no
    Brasil !
    escalado pelo tal de gato
    explorado pelo fazendeiro
    meses, meses, meses de trabalho
    enganado e nada de dinheiro
    objeto descartável coagido pelo medo
    latifúndio escravagista
    opressão pelo desespero

    Refrão:
    Quanto custa um homem no expresso da escravidão ? no
    Brasil !
    escravidão contemporânea no Brasil !!!


    E isto, sabes o que é isto?

    ResponderEliminar
  144. Não sei. É do Gabriel?

    ResponderEliminar
  145. http://www.youtube.com/watch?v=HESOnZBxe_Q

    ResponderEliminar
  146. Gosto da letra, a música é muito heavy para o meu gosto.

    http://www.youtube.com/watch?v=vYDzvxnqESQ

    ResponderEliminar
  147. "Touro de raça brava em estado selvagem"?! Então deve estar a precisar de ser "domada"… no meio desta conversa toda o que se conclui é que o Junkie ainda não conseguiu. (mas ele quer?) "tens de ficar ali ao lado, presente, mas não em cima, tens de dar espaço mas mostrar-te disponível". Boa sorte!
    (tantas gajas e ninguém percebe nada de nada)

    ResponderEliminar
  148. Tu és um fiteiro, Junkie. Ainda bem que admites as tuas encenações. Depois queres que acreditem em ti?

    ResponderEliminar
  149. Não estás à espera que escreva os restantes 43, pois não?

    ResponderEliminar
  150. ehhp ... assim comássim já servias pa qualquer coisa ...

    ResponderEliminar
  151. Olha uma anónima e eu distraido, foda-se, não pode um gajo ir mijar.
    Olha lá ó anónima, que anónima és tu ?

    ResponderEliminar
  152. E a Isa, ó Isa, assim como assim tu também andas um bocadito para o caladita, tu que por dá cá aquela palha eram logo comentarios de pagina e meia.
    Que pasa tchica ?

    ResponderEliminar
  153. É impressão minha ou isto está muito silencioso?

    ResponderEliminar
  154. tou triste por causa de que o meu amor não m'assiste.

    posso?

    ResponderEliminar
  155. e também tou de férias.

    e férias são férias.

    ResponderEliminar
  156. Será que os anónimos querem que o pessoal saia para dialogarem avec toi?

    ResponderEliminar
  157. Amuaste? É verdade.
    Ela sabe o que quer e deve ter tentado dar-te a oportunidade de lho dares (isto não é tão mau como soa), só que nunca lhe deves ter dito o que querias. Logo, ela pode achar que só serve para te afagar o ego e pelo que contas não me parece que esteja com vontade de fazer parte de nenhum clube de fãs.

    ResponderEliminar
  158. Maggie, achas silencioso? Queres que ponha outra vez os ratos do porão?

    Só não o faço porque a Isa está triste, sente falta do seu amor, mas esquece-se a Isa que nós a amamos, então pois não amamos, amamos pois.

    Ó Isa, vai chorar a morte da bezerra para outro lado.
    Até parece que te esqueces de ao que aqui andamos pá, isto era uma armadilha, mas uma armadilha com armadilha, é que o isco tornar-se-ia no caçador, ou tás distraída?
    Não querias a tua oportunidade de espetar as tuas garras justiceiras numa qualquer caçadora de provincia?

    ResponderEliminar
  159. AHAHAHAHAHAHAHAH


    ai que caralho que tá tudo doido ...

    ResponderEliminar
  160. Eu gosto da Isa. Ela dá bons conselhos no blog para casos perdidos como tu, Junkie. Sou a única "anónima". Quem mais haveria de ser?

    ResponderEliminar
  161. Olha outra vez a anónima.

    Ó anónima, ora repete lá outra vez essa parte a ver se consigo entender.

    ResponderEliminar
  162. Esta mania de ficar com peninha de ti... parva!

    ResponderEliminar
  163. Eu gosto da Isa. Ela dá bons conselhos no blog para casos perdidos como tu, Junkie. Sou a única "anónima". Quem mais haveria de ser?

    ResponderEliminar
  164. Ó Isa, esta anónima gosta de ti, vê lá não lhe dês com muita força, porque até se pode dar o caso de esta anónima não ser a anónima certa.

    ResponderEliminar
  165. Já entendeste? ou preferes que repita outra vez?

    ResponderEliminar
  166. Não era essa parte, mas deixa lá, serviu para a aproximação ao famigerado 200

    ResponderEliminar
  167. Não recomeces com essa história de eu não ser eu outra vez. Paranóia!

    ResponderEliminar
  168. Anónimo, tudo o que aqui acrescentes será bem vindo, quanto mais não seja na soma de comentários, mas era uma boa que arranjasses uma assinatura.
    Que tal maria ? Os anónimos parecem gostar de ser maria.

    ResponderEliminar
  169. Qual é a duvida? É tudo claro como água, como sempre. Não há nada nas entrelinhas, nem ironia.

    ResponderEliminar
  170. Pode ser maria. Não existe "Os anónimos"

    ResponderEliminar
  171. Isto vai no bom caminho.
    A Anónima gosta da Isa. E de mim, também gosta?

    ResponderEliminar
  172. a não ser que o "clube de fãs" aqui chegue... diz-me tu.

    ResponderEliminar
  173. Isto até parece que vai a descer, tal a velocidade com que ameaça atingir os 200.

    Dá-lhe falâncio.

    ResponderEliminar
  174. Gosto da Laura, de ti tem dias.

    ResponderEliminar
  175. Eu também gosto da Laura, uma gaja porreiraça, que até nem ficou nada chateada por não lhe ter sido atribuido o pénis de peluche.

    Gostas dela e depois, porque é que não lhe vais dizer isso a ela?
    De mim, olha, guarda-te para um daqueles dias.

    ResponderEliminar
  176. Porra! Só dias. É tão pouco para a minha ambição.

    Gosto de ser adorada todos os dias, quer chova, quer faça sol.

    ResponderEliminar
  177. Também eu Margarida! Mas há gajos que não entendem isso. Poucos, felizmente. Raros... na verdade, apenas um! (suspiro)

    ResponderEliminar
  178. Alguém tem pilhas? O cabrão do vibrador deixou de funcionar, caralho.
    Safo

    ResponderEliminar
  179. Junkie, darling,

    ...


    vais ter de me ler o pensamento.

    ResponderEliminar
  180. Isto é o meu sonho, quase a chegar aos 200 e acossado por uma poetisa lesbiana.
    Qualquer homem não poderia querer mais do que isto, a não ser se fossem duas poetisas lesbianas.

    ResponderEliminar
  181. Aguenta-te aí ó Junkie! Atão?
    Safo

    ResponderEliminar
  182. E cinema, querem falar de cinema?

    ResponderEliminar
  183. Acho que já tinha ficado claro que a novela que decorria em post foi cancelada, portanto a seguir aos 200 não terá continuação.

    Vou ter que arranjar outro assunto, talvez até se torne isto num blogue de posts pedidos e de tempo perdido.

    ResponderEliminar
  184. (o que leste, não essas invenções eróticas a 3 que começas logo a imaginar)

    ResponderEliminar
  185. Isso não se faz. Eu quero saber quem era a AliceRita.

    ResponderEliminar
  186. Foda-se eu quero contribuir com os últimos comentários!

    ResponderEliminar
  187. Vais acabar por saber, mais tarde ou mais cedo alguém fará um filme sobre a senhora.

    Talvez o Emir Kusturica, quem sabe...

    ResponderEliminar
  188. Quem disse que gostava de mim? Hein?

    Que cena lamentável.

    ResponderEliminar