segunda-feira, 21 de novembro de 2011

A Estrela ausente

Este é o octagésimo post deste blogue, e como não me apetece inventar vou antes constatar.

É só mais um balanço, coisa que fazemos a todo o momento, passamos a vida a fazer balanços, avaliações no fundo, mas agora a avaliação é em profundidade, no sentido de descortinar algum sentido nos 79 posts precedentes, e nem preciso de os reler para encontrar algo em torno do qual quase todos os posts giram, como se se tratasse de um sistema planetário, alguns posts são cometas, passaram como intrusos, nada tendo a ver com o resto, mas grande parte move-se na órbita de um mesmo ponto, assunto, ou seja lá o que for, que é para não atribuir nomes à estrela no centro deste blogue.

Não era essa a intenção inicial, nem nunca houve essa vontade premeditada, mas passadas tantas palavras não há outro balanço que possa fazer no que diz respeito à identificação do ponto em torno do qual isto gira.

Na verdade a melhor parte tem sido a dos comentários, mas esse balanço fica para outra altura, ou para quem os faz.

35 comentários:

  1. Por mim, podes e deves continuar a pintalgar este céu, sempre ca mesma estrela. Força aí, não t'inibas. Diz que falar faz bem e aconselha-se a que se o faça, até à ultima constelação. Até que a estrela perca o brilho, se desgaste. Ou expluda. Ou o raio ca parta.

    ResponderEliminar
  2. Se este blog, qual planeta girou à volta dessa Estrela e deu origem a estes posts, só penso que é de louvar tal Estrela que inspirou textos tão brilhantes.
    É certo que em certas ocasiões o brilho, apesar de intenso, foi triste.
    Se calhar foi por causa de sistemas solares ou estelares destes que o Stevie Wonder canta/cantou "you're the sunshine of my life..."

    ResponderEliminar
  3. E agora? Quando surgem mais posts?

    Que venham mais, sejam eles planetas do mesmo sistema solar ou não, uma Estrela,muitas estrelas ou Estrelas, constelações inteiras, cometas, meteoritos, tudo.
    Que nos caia o céu na cabeça!

    ResponderEliminar
  4. Virão!
    Virão mais, que não desistirei antes dos 100.

    ResponderEliminar
  5. Há coisas que parecem e que o são e nós somos os únicos responsáveis por isso.
    Há vida para além dos teus dilemas, é uma pena que nao tenhas reparado, nao foi por falta de oportunidade.
    Foi a ultima vez que fiquei sem resposta. Estou fora deste filme.

    ResponderEliminar
  6. Olhem, eu sei que não sou chamada assim as estes à partes e isso tudo hã? mas tenho mesmo mesmo mesmo mesmo que dizer o que me vai naialma, por causa que se não digo acontece práqui qqer coisa e isto inda s'estraga mais, e então cá vai: eu também acho muito mal cuma pessoa fique sem resposta! pás acho!!
    Pronto.
    Já disse.

    ufa c'alívio ...

    ResponderEliminar
  7. e já caqui estou, ó anónimo, deixa-me que te diga que se há vida prálém dos dilemas d'alguém que esteve ligado a outrém, já a havia antes da cena acontecer, certo? e se nessas alturas nenhuma das partes se debruçou muito sobre esses quejandos, nou tou a ver porquê que no depois, a coisa há-de ser assim uma dimensão tão impeditiva de se não dar atenção os dilemas do outro, sobretudo s'os dilemas lhe estiverem relacionados.

    cá agora também armado em lobo mau ou o caralho, já ias era masé tratar desse feitiozinho merdoso, é o que é.

    ResponderEliminar
  8. e o meu comentário anterior, não invalida o primeiro. pra que conste.

    é por estas cenas assim que há tanta guerra no mundo.


    dasse, uma pessoa a tentar ouvir um bocado de música sogadita e tem que tar a ler estar cenas.

    ResponderEliminar
  9. O Anónimo não teve resposta, onde?
    Eu não estou a perceber nada, mas não faz mal porque o que interessa é que o Benfas ganhou e o Pablo Aimar é muita giro! Só hoje é que reparei, sou mesmo distraída, caraças

    ResponderEliminar
  10. Mas, ó Junkie, anda cá dar uma resposta ao Anónimo!
    As pessoas, quando não obtêm resposta às suas perguntas, ficam aborrecidas, e com razão.

    ResponderEliminar
  11. Ganhou? OBA!

    Pois, também não percebi ondem mas também não é a primeira vez que não o percebo, maneiras que. Acho é um bocado incoerente a pessoa enervar-se com a hipotética falta de uma resposta, e dizer que há vida para além dos dilemas de alguém. Tipo, pode-se muito bem dizer-lhe o mesmo, noé?

    ResponderEliminar
  12. O que é facto é que cada um orienta os comentários no sentido e na direcção que lhe interessa, independentemente dos desejos dos restantes.
    Penso que o Anónimo deve entender isso bem.

    ResponderEliminar
  13. Pena é que seja só ele. Eu cá quando vou ao cinema, gosto de perceber o contexto das coisas.

    ResponderEliminar
  14. Pois,às vezes surgem comentários um pouco encriptados, como por exemplo quando o Anónimo diz: "Há coisas que parecem e que o são e nós somos os únicos responsáveis por isso".
    Por um lado é de uma platitude à prova de bala, por outro parece, pelo menos para mim, uma observação desenquadrada.

    ResponderEliminar
  15. Isso aí parece-me uma acusação, mais ou menos subliminar. Dá a entender que - se ele se está a referir ao post - os anseios aqui do desperado dono deste blog, se devem a ele próprio, ou que ele próprio provocou a situação em que se encontra.
    Mas aí é que está o contrasenso, porque depois revolta-se porque não obteve, ele, uma resposta a algo,quando aqui o Jones anda ó tia ó tia, porque se lhe desapareceu alguém das vistas,mas não do coração.

    Porra, agora já nem eu m'entendo.

    ResponderEliminar
  16. "Há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a tua/ nossa vã filosofia"

    E vai daí, as coisas do amor, às vezes, são muito complicadas.

    ResponderEliminar
  17. Verdade Margarida.
    Isso e a citação, devem mesmo ser as únicas verdades irrefutáveis que temos na vida.

    ResponderEliminar
  18. Decidi vir comentar aqui algo que foi escrito noutro lado, logo o contexto não tem nada a vercom este post.
    Se alguém teve um cuidado especial ou mostrou preocupação, deviano mínimo ter uma resposta de agradecimento. O que só revela qye a conversa nao sai nem saira deste mundinho da treta.
    A vida a que me refiro é a de quem devia ser tido em maior consideracao do que a que tem na realidade. O teu umbigo nao é o centro do mundo, nem tu a vtima.

    ResponderEliminar
  19. Todos nós somos vitimas de alguma coisa, quanto mais não seja, de nós próprios, todos temos as nossas dores e os nossos ais.
    Tu por exemplo, pode muito bem que estejas a ser vítima das tuas conclusões, não é? "pode ser" uma data de coisas que ainda não tiraste a limpo e duvido que tires, que este não é o local ideal pra essas coisas assim mais particulares.
    É como se agora estivesses tu a olhar só pró teu umbigo e assumisses tu o papel de vítima.

    De certeza que pelo menos nesta, concordas comigo.

    ResponderEliminar
  20. Concordo contigo. Duvido que tire porque este não é o local certo, e porque não há outro.

    Não sou vítima de nada. Fiz opções mais ou menos conscientes, agora faço outras, já que as primeiras não me levaram a lado nenhum.

    ResponderEliminar
  21. Anónimo, desculpa lá mas este constante jogo de palavras, de enigmas, de inuendos, serve para quê, numa caixa de comentários?
    Parece e repito, parece, que tens algo a tratar, de pessoal, com o Junkie, ou pretendes um tratamento diferenciado, por razões que me escapam e nem sequer pretendo apanhar, caso contrário não te encanitavas tanto por não obteres respostas - dei-me ao trabalho de ir lá atrás ver e a única coisa que encontrei foi uma pergunta sobre o vídeo que o JJ pôs - quando tal é prática frequente não só neste blog, mas em muitos outros.

    Eu, se tivesse algo a clarificar com o dono aqui do espaço, usava o mail que está mesmo ali.
    Aliás, nem ia apreciar nada que assuntos pessoais fossem expostos numa caixa de comentários.
    Queres manifestações de consideração pessoal, rasgos de gratidão ou rancores e mal entendidos dissecados e apresentados em praça pública?
    Vai por mim, Anónimo, contacta directamente.

    ResponderEliminar
  22. Dizes que este não é o local certo mas que também não há outro.
    Claro que há. Se mandares um mail,por exemplo, é muito mais directo que na caixa de comentários.

    ResponderEliminar
  23. Sabes uma coisa Anónimo, a dúvida, a criação de cenários, as hipóteses insistentemente construídas e destruídas, corroem de forma lenta e insidiosa.

    ResponderEliminar
  24. "...é muito mais directo que na caixa de comentários."
    Exactamente. Há 3-4 dias.

    ResponderEliminar
  25. E já viste desde quando é que o Junkie não aparece por aqui?

    Tempo. Que é aquilo que é igual pra todos, mas depois, não é.


    A minha cria maior chegou hoje e eu tou no céu. É só pra saberem, por causa que adoro partilhar.

    ResponderEliminar
  26. Ok, Anónimo. Os meus comentários são em função dos argumentos que tens vindo a apresentar.

    ResponderEliminar
  27. yep yep yep!:)

    Chegou às 7 da manhã, e foi até agora, nós as três e mais os cães, tudo ao molho, literalmente, numa conversa pegada.
    Este é o meu conceito de felicidade.

    ResponderEliminar
  28. Isa, se não interpretei mal, penso que o Anónimo, em resposta ao meu comentário, quis dizer que enviou um mail há 3-4 dias.

    ResponderEliminar
  29. Também percebi o mesmo, Margarida. O que eu quis dizer, é que o JJ não tem andado muito por aqui, ou que sabemos lá nós a razão da eventual não resposta, né?
    Já me aconteceu demorar a responder a mails, exactamente pela consideração que as pessoas me merecem e não estar eu em condições de o fazer imediatamente, já me aconteceu não obter eu respostas imediatas, e depois receber palavras não directamente relacionadas ao assunto que toquei, mas que me encheram o coração. Já m'aconteceu simplesmente não obter resposta. Por me terem acontecido uma porção de situações, não concluo nada de mais ninguém, que não de mim.
    Eu, dido o que entendo que preciso dizer. A consequência, seja ela qual for, está por conta de outros, naturalmente, e eu mais não tenho que simplesmente, aceita-la.

    ResponderEliminar
  30. Há coisas que podem ter resposta imediata e outras não. Depende de imensos factores.
    Também há coisas que não carecem de resposta ou em que a resposta é mesmo o silêncio.
    Não há padrões.

    ResponderEliminar
  31. Ena, tantas considerações por tão pouco.

    Para que não restem duvidas eu faço um curto esclarecimento.

    Eu e o anónimo temos trocado alguns mails.

    Ele lá não é anónimo, chama-se Alice, mas é o anónimo de certeza, porque as trocas de mails têm sido mais ou menos como aqui a troca de comentários, uma espécie de tentativa frustrada de comunicação.

    Como tal, lá no ultimo mail que lhe enviei, achei que tinha ficado claro que a conversa acabava por ali.

    Como vêem nada tem de transcendente a questão, é só mais do mesmo.

    Foda-se, para compensar já me podia sair o euromilhões.

    ResponderEliminar
  32. Eu devo ser uma gaja muito básica ou muito burra ou ambas as todas.
    Quando tenho interesse mesmo, mas mesmo muito interesse em esclarecer alguma coisa, faço tudo para que tal aconteça e não ando às voltas, com rodriguinhos, novelas e novelos.Em suma, não ando a, pardon my french, enconar.
    A vida é curta e apenas uma.

    Quanto ao resto, também estou muito necessitada de uma ocorrência, tipo euromilhões.
    Se Deus existe, podia aproveitar esta época de boa vontade e manifestar-se perante mim sob a forma de jackpot.Prometo que vou fazer bom e comedido uso dele.

    ResponderEliminar