quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A ingratidão não é um dos sete pecados mortais, pois não?



Era uma vez uma menina que encontrou um pássaro muito ferido, quase de morte.
Pegou nele, levou-o para casa, e durante algum tempo tratou-o, alimentou-o e mimou-o com uma ternura que ele desconhecia.
Quando ela achou que o pássaro estava em condições de sobreviver pelos seus próprios meios, começou a deixar a janela aberta num convite à liberdade, mas ele preferia a doçura daquela prisão farta em ternura à agrura da luta pela sobrevivência em liberdade, e deixou-se ficar.
A menina, firme na sua intenção de devolver o pássaro ao seu meio, pegou nele e atirou-o pela janela, mas o passarito deu meia volta e antes que a menina conseguisse fechar a janela, já estava ele pousado no seu ombro a depenicar-lhe a orelha.
Para grandes males grandes remédios, pegou no pardal, atirou-o pela janela, e antes que ele voltasse, começou a apedrejá-lo e a gritar-lhe impropérios com tal firmeza que ele não teve mesmo outro remédio que não fosse ir chilrear para outro lado.
É fácil imaginar a saudade e o ressentimento a debaterem-se na cabecita confusa do passarito, que apesar das saudades da menina não perde a oportunidade de lhe largar uma caganita em cima sempre que pode.


43 comentários:

  1. ahahahahah

    Só tu...

    Quem é a senhora que canta?

    ResponderEliminar
  2. Com tanta caganita aposto que um dia destes ela ainda o afoga.

    ResponderEliminar
  3. A forma distorcida e divertida (para quem lê) como vês o mundo.

    Ninguém que cuida era capaz de atirar um passarinho pela janela, nem mesmo depois de umas bicadas e caganitas.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo, distorcido mas nada divertido és tu.

    Então já não te pedi que arranjasses um nick?
    Ai o caralho já....

    Quanto à musica, quem conhece, conhece, quem não conhece também não é por mim, aqui, que vai ficar a saber de quem é.

    ResponderEliminar
  5. Eu de pecados, não percebo nada. Percebo de bocados e de bocadillos.
    Voltando à ingratidão, acho que é uma coisa muito feia e que o passarinho não devia deitar caganitas para cima da menina que foi tão boa para ele.
    Se eu fosse ao passarinho - seria uma passarinha, mas vai dar ao mesmo - estaria eternamente grato pelos desvelos com que tinha sido tratado e para que não houvesse dúvidas, fritar-me-ia e apresentar-me-ia à menina numa travessa, rodeado de batatinhas.Também iria bem acompanhado com alguma salada.

    ResponderEliminar
  6. Olha-me esta já a imaginar-se passarinha servida em bandeja, mas tu não achas que isso é ser-se demasiado dada?
    Tu não te deias pá, tu oferece-te mas não te deias.

    ResponderEliminar
  7. Bem, talvez ainda um dia a ingratidão seja um pecado execrável, mas até ver os pecados mesmo fodidos são estes, diz o google, se bem que logo o 1º me desgraça completamente.

    Sete Pecados Capitais

    Os sete pecados capitais são atitudes humanas contrárias às leis divinas. Foram definidos pela Igreja Católica, no final do século VI, durante o papado de Gregório Magno.

    São eles:


    1. Luxúria: apego e valorização extrema aos prazeres carnais, à sensualidade e sexualidade; desrespeito aos costumes; lascívia.

    2. Gula: comer somente por prazer, em quantidade superior àquela necessária para o corpo humano.

    3. Avareza: apego ao dinheiro de forma exagerada, desejo de adquirir bens materiais e de acumular riquezas.

    4. Ira: raiva contra alguém, vontade de vingança.

    5. Soberba: manifestação de orgulho e arrogância.

    6. Vaidade: preocupação excessiva com o aspecto físico para conquistar a admiração dos outros.

    7. Preguiça: negligência ou falta de vontade para o trabalho ou atividades importantes.


    Novos Pecados Capitais

    Em função das mudanças ocorridas na sociedade atual, o Vaticano criou, em março de 2008, um conjunto de novos pecados adaptados à era da globalização.

    - Experimentos “moralmente dúbios” com células-tronco: a Igreja Católica defende a idéia de que a vida se forma no momento da formação do embrião. Portanto, condena qualquer tipo de pesquisa científica com embriões humanos e células-tronco embrionárias.

    - Uso de drogas: as drogas causam dependência física e psicológica nos usuários e prejudicam o funcionamento harmonioso da família. É uma atitude contra a vida humana.

    - Poluição do meio ambiente: a poluição do ar, água e solo trazem prejuízos sérios ao meio ambiente e a saúde das pessoas.

    - Agravamento da injustiça social: o capitalismo criou, em muitos países, uma má distribuição de renda, deixando à margem da sociedade grande parcela da população (os excluídos sociais).

    - Riqueza excessiva: o capitalismo favoreceu a concentração de renda, muitas vezes, de forma excessiva. Algumas pessoas concentram bilhões de dólares, enquanto outros, não têm se quer o que comer.

    - Geração de pobreza: a pobreza e a miséria estão espalhadas pelo mundo. Cometem este pecado àqueles que contribuem para a geração destas condições sociais.

    - Violações bioéticas como, por exemplo, controle de natalidade: é considerada violação bioética toda atitude que pretende evitar a geração de vida de forma natural (uso de contraceptivos, cirurgias, aborto, inseminação artificial).

    ResponderEliminar
  8. Depois de meditar sobre a lista de pecados, talvez devesse rezar 300 pai nossos e 400 avé marias, mas mesmo assim talvez seja pouco.

    Se alguém quiser mandar recados para o inferno, pode contar comigo, 1000euros a palavra, adiantados.

    ResponderEliminar
  9. Junkie, eu disse "se eu fosse passarinho", como não sou, sou gaja,sou gente,não me dou, não me ofereço, nem de bandeja nem de travessa. É tudo naquela base:toma lá, dá cá.Que assim é que é bonito e para além de bonito é bom.

    Ai a igrejinha e os pecados!
    Oh, foda-se, caralho, na nova lista de compras esqueceram-de da pedofilia!

    ResponderEliminar
  10. Pá, a pedofilia não é um pecado, é uma tendência sexual intolerável, e por isso um crime considerado aberrante.

    Digo eu que sou um especialista em tudo e mais alguma coisa.

    ResponderEliminar
  11. Ah, pois que tola que eu sou.A pedofilia é a atracção por cianças.
    Pecado é tomar a pílula ou usar o preservativo e quejandos.

    ResponderEliminar
  12. Sua tola.

    Por falar nisso, e se pecassemos?

    ResponderEliminar
  13. Mas primeiro tens me me cantar aquela do Chico:
    "Não existe pecado do lado de baixo do equador..."

    ResponderEliminar
  14. Já foram, ou estou neste preciso momento a incomodar? é rápido ( não é cuntigo Jones, eu é que vou ser rápida), então é assim: ingratidão não é pecado, é só ingratidão e prontes. Também não acho muito bem que a menina tenha corrido assim com o passarinho. Tadinho, criou laços d'amizade e tem saudades, porra!

    Pecado, mas assim pecado à séria, é o Vaticano. Issé qué pecado pá.

    ResponderEliminar
  15. Já pecámos, Isa. O Junkie falou no inferno e eu disse "caralho, foda-se" a propósito da igreja.

    ResponderEliminar
  16. ahahahahah

    eish ...estão tão no inferno, vocezes pás ...

    (A SALA DO MEIO É MINHA!)

    ResponderEliminar
  17. Eu estou aqui numa da ponta, com uma janela. Estou a pintar as unhas e preciso de arejamento.
    Mas tá-se bem, tá quentinho.

    ResponderEliminar
  18. A propósito de pecados e de merdas que até fazem arrepiar o diabo, vejam esta desgraça:

    http://www.youtube.com/watch?v=wM6bFw1wOPc&feature=player_embedded

    ResponderEliminar
  19. :)

    Já vi. Isso hj anda por todó lado.

    Viste aí o comentário de um dos entrevistados?

    ResponderEliminar
  20. A do símbolo químico da água? Ou o da manipulação das entrevistas?

    Haja ou não, é indesculpável não saber quem escreveu "Os Maias" ou dizer que Inglaterra é a capital dos EUA, mesmo que as restantes 19 respostas estejam certas. São estudantes universitários, porra!

    ResponderEliminar
  21. Não sejam más, não se lembram da famosa gafe do Guterres?
    O gajo era 1º ministro!
    E agora pouco lhe falta para Madre Teresa, portanto tenhamos esperança na juventude.

    ResponderEliminar
  22. Esse enganou-se no valor do PIB, não foi?
    Temos levado com cada um!
    Que mal é que este desgraçado povo tem feito para só lhe calhar na rifa gente desta!
    Agora é aquele insuportável Relvas a incentivar à emigração da malta jovem.
    O que é que esta gente quer fazer ao país?

    ResponderEliminar
  23. O que é que esta gente quer fazer ao país?

    Qual gente?

    Será que na minha idade ainda consigo aprender a falar alemão?
    É que de repente tive uma visão, imaginem só, uma visão, a Angela Merkel de cabelo curto, preto, e um bigodinho só ali debaixo do nariz.

    ResponderEliminar
  24. Epá, mesmo que tenhas já 80 anos ainda se dá um jeitinho.
    Como é que estão as articulações? Vais ter de estender o braço.

    ResponderEliminar
  25. Em Roma dzia-se "avé César", noera?

    ResponderEliminar
  26. Pois, mas depois passou a ser "Heil" ou "Sieg Heil".Coisas de má memória.

    ResponderEliminar
  27. Exactamente.

    Nós também já cá tivemos disso

    http://www.youtube.com/watch?v=3sXr37z-snI

    E lá íamos, cantando e rindo ...

    Fui porta bandeiras na mocidade portuguesa, já vos contei? pois que fui.

    ResponderEliminar
  28. Isso quer dizer que nasceste antes do 25 de abril, e eu que julgavas teres nascido depois.

    Fora isso imagino que devias seguir toda orgulhosa com a bandeira em punho, coisa que aposto não farias nos dias que correm.

    Eu nunca gostei de dar nas vistas, sou mesmo low profile, e acho que o unico cortejo em que seguirei em posição de destaque será no meu próprio cortejo funebre, isto se não ficar esquecido numa valeta qualquer desse mundo imenso.

    ResponderEliminar
  29. Pertencer à mocidade portuguesa, não era uma opção, sabias? Como quase tudo naquela altura, era-nos imposto como se de uma agradável obrigação se tratasse. Tá claro que transportava a bandeira com todo o custo(aquilo pesava bem mais que eu) e orgulho, cantava o hino e fazia a tal saudação ao símbolo do meu país. E mantém-se tudo, menos a saudação. Se cousa houve de bom a aprender com o regime vigente, foi a encher o peito de cenas bonitas pra se dizer "Portugal", eu, sou do tempo em que, se o Hino Nacional se ouvisse, punha-se tudo de pé, em sentido, e cantava-se aquilo com ialma, caray. E todá gente sabia o sabia de cor, não havia cá atropelos na letra.
    Cá em casa ainda funciona assim, estão a cantar o meu País na televisão, 'bora lá tudo a cantar também e com muito respeitinho, independentemente de quantas nacionalidades moram no pedaço, pá. Apoisé.

    ResponderEliminar
  30. Por acaso não sabia que era uma obrigação, eu cá nunca pertenci a essa coisa, e os unicos cortejos em que me lembro de sair em criança era nas procissões, lembro por causa das fotografias, porque memória mesmo só retenho que no final davam um saquinho de bolachas, tal e qual, com a minha roupinha de sair nas procissões, com uns 3 ou 4 anos já lá ia a pensar no saquinho de bolachas que distribuiam no final, se bem que ao olhar para as fotos da ocasião, eu não ia propriamente satisfeito.

    Qualquer dia perco a vergonha e espeto aqui com a minha própria evolução, em foto, desde que fazia cócó na fralda até agora que faço merda por todo o lado.

    ResponderEliminar
  31. evolução, então, será um cadinho pretensioso, não?

    ResponderEliminar
  32. E a propósito dessa evolução,estou eu condições de divulgar imagens que provam que o Junkie desde criança levou muito a sério a eterna questão da forma e do conteúdo.
    Veja-se com que empenho ele procura o conteúdo!

    http://www.youtube.com/watch?v=IevlFEGC6YU

    ResponderEliminar
  33. Bem, evolução no tempo, para ser mais concreto.

    E em todo este tempo nunca fui loiro, para que se saiba.

    ResponderEliminar
  34. Epá, estragaste-me o esquema todo! Isso é só um pormenor.Mau, menino mau!

    ResponderEliminar
  35. Mas qual esquema?

    Deve haver qualquer coisa que não estou a acompanhar, de que falas?

    Mais outra coisa, olha lá ó ......., julgas que estás a falar com o teu caozinho? menino mau?
    Eu dou-te o menino mau, dou...

    ResponderEliminar
  36. É brincadeira,pá!Como falaste da tua evolução de criança e eu achei o video tão engraçado, resolvi pôr aqui. Hoje já vi que não se pode brincar, chiça!
    Ias chamar-me o quê? Não completaste ali o "ó..."

    Eu só tenho um cãozarrão.

    ResponderEliminar
  37. oh pois claro, foi isso mesmo que eu pensei!

    ResponderEliminar