quarta-feira, 30 de maio de 2012

A chover no molhado

Nem sei se foi ontem, se foi hoje, se quando foi, mas ouvi na TV um gajo, nem mais nem menos que o ministro da educação, a dizer que devido à crise e o caralho, vai iniciar um programa que visa fornecer alimento a alunos, filhos de familias com dificuldades financeiras, alunos esses que vão para a escola de manhã muitas vezes em jejum. Esse programa que inicia este ano, segundo o ministro, ainda não cobrirá todo o território nacional, e mesmo assim só é possivel graças à colaboração de privados.
A mim resta-me perguntar, ó meus grandes filhos da puta, o que caralho fazem vocês aos impostos que nós pagamos? Onde estão os milhares de milhões que desapareceram do BPN, e o que vai acontecer aos gajos que palmaram o dinheiro? Para que interessa ter escolas decoradas com pedras nobres e mobiliário estilizado, se há lá alunos a passar fome?

E eram tantas as coisas a apontar, coisas que vão passando na comunicação social, mas sem um fim moralmente aceitavel, que até custa acreditar ser verdade.

38 comentários:

  1. Vê-se mesmo que não percebes nada de agricultura.
    Os senhores professores precisam de um ambiente confortável e acolhedor para poderem ensinar os jovens.

    ResponderEliminar
  2. O plano é singelo: de um lado empobrecem os pais com impostos, cortes nos salários e subsídios, mais o desemprego, do outro lado atiram comida às crias.

    ResponderEliminar
  3. Ainda por outro lado, para isto sair mesmo em 3D, se as escolas tivessem sido reabilitadas a partir de garrafas de plástico e caixas de cartão,as crianças continuariam com as mesmas carências. O guito que deu esse luxo fodido às escolas tinha exactamente e apenas (e só podia ser utilizado para) esse propósito.
    Tirando isso, os professores são uma cambada que ganha bem, sai cedo e tem muitas férias, muitas mesmo.

    Era só isto que eu queria dizer. Agora vou voltar ao meu táxi.

    ResponderEliminar
  4. Estranho, normalmente os taxistas indignam-se perante qualquer comentário que vise criticar a vidinha santa dos professores. Claro que a Maggie não é uma taxista qualquer, pois não?

    ResponderEliminar
  5. E tu ó anónimo, não sabes o que dizes, percebo muito mais de agricultura do que de física quântica, por exemplo

    ResponderEliminar
  6. Pois é, mas será que perante o pudim, seria capaz de resistir a enterrar lá o dedo?
    Quem se dará a tanto esforço para chegar junto do pudim, e depois não claudicar?
    Eles há-os certamente, mas serão raros, ou então somos nos, o povo, que é burro e não consegue diferenciar um mentiroso de um gajo sério.

    ResponderEliminar
  7. Estamos a falar de...? professores ou políticos?

    ResponderEliminar
  8. Eu estou a falar de doçaria, pudins e tal.

    E claro, como sempre, da natureza humana.

    ResponderEliminar
  9. Sim, a maioria mete o dedo no pudim, divide o pudim, come o pudim e diz que foram outros.

    O poder é lixado, dizem que para certas, muitas pessoas, é viciante e leva-as por caminhos muito duvidosos, sobretudo quando elas já têm uma apetência natural para os trilhar.
    Ainda assim há gente vertical e honesta. Não percamos a esperança.

    ResponderEliminar
  10. Junkie, não sei se sabes mas o "taxismo", é uma forma de estar na vida, quase elevada à condição de arte.
    Extravasa os limites do veículo e o discurso dos carismáticos motoristas; está instalado no meio de nós e consiste em em analisar determinados grupos profissionais com base em estereótipos, tomando a parte pelo todo, a árvore pela floresta, a nuvem por Juno, transformando a excepção em regra.
    Claro que redunda sempre em conclusões de merda, mas não faz mal porque empolga as massas.

    ResponderEliminar
  11. Olha, por acaso não sabia, mas faz sentido, uma espécie de treinador de bancada misturado com a espécie Comadre, que resulta naquilo que empolga as massas, que é falar mal dos outros, hábito tão intrinsecamente humano, então pois não é?

    Agora essa do taxismos, nunca tinha ouvido falar. Socialismo, laxismo, sim, agora taxismo é a primeira vez. As coisas que aprendo contigo pá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E também ouviste falar de tachismo e, recentemente, de relvismo.

      Eliminar
  12. Margarida estou contigo. Gostava de ser professor e agora estava quase de férias e a comer pudim.

    ResponderEliminar
  13. Olha a Maggie que arranjou um admirador anónimo, que romântico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tás com ciúmes? Fica todidinha para ti.

      Eliminar
  14. O relvismo, tá boa, a mim parece-me mais do mesmo que se tem visto nos últimos anos, e nessa perspectiva o panorama político português é um verdejante relvado, a perder de vista, à direita e à esquerda.

    ResponderEliminar
  15. Ciúmes é coisa que já não me assiste, já tive muitos, e como muitas outras coisas que usamos excessivamente, esgotaram-se-me. A única coisa que parece não se me esgotar é a estupidez, maravilhosa estupidez.

    ResponderEliminar
  16. eh lá pessoal, eu não pertenço a ninguém, sou uma pessoa não uma t-shirt e isto é só blog. :)))

    ResponderEliminar
  17. A bem dizer, pouco mais me pertence do que aquilo que produzo, e de entre as coisas que produzo, merda talvez seja a mais abundante.

    ResponderEliminar
  18. Respostas
    1. A Anita deve ter voltado para casa. Pelo que li, o circo era este e ela não gosta que lhe deixem as perguntas sem resposta.

      O calor deixa-a exausta, isso e a maravilhosa estupidez humana, com a dela à mistura. Retirou-se, parece-me, e não sabe se volta.

      Já não é a mesma, falham-lhe as forças. Não sabe o que quer, ou o que é melhor, ou o que deve procurar. Filhos, acho que agora tem vontade de ter filhos. Precisa do tempo e da lucidez.

      Eliminar
  19. A Anita foi ao circo, e trouxe o urso, que veio anónimo.

    Talvez o urso a tenha comido, ou ainda esteja a comer, sabemos nos lá.

    ResponderEliminar
  20. Os animais são o mais interessante do circo. Não gosto muito de circo e sou como o Kramer, não acho piada nenhuma aos palhaços.

    ResponderEliminar
  21. http://www.youtube.com/watch?v=McdL21gQDvo&feature=related

    Série fantástica!

    ResponderEliminar
  22. Epá relax. Neste blogue vivem só os dois. OK. Que belo dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Epá tás enganado. Eu não vivo aqui, venho aqui só dizer uns disparates.
      Um blog é só um blog. A vida é outra coisa.
      Por acaso o dia está assim assim no aspecto, mas muito agradável quanto à temperatura.

      Gostas do Seinfeld?

      Eliminar
  23. Olha lá ó anónimo, tu julgavas que era chegar e facturar? Andava para aqui um gajo a virar a franga, e agora que ela está quase pronta para consumir, tu era só chegar e fincar o dente.

    Olha-me este... E se pretendes vir para cá mandar postas de pescada, arranja um nick. Aposto que tu próprio não gostarias de ver outros ficarem com o mérito da tua estupidez.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achas que há aqui espaço para um sofá dos grandes? Para habitar aqui preciso de um sofá onde me possa esticar à vontade.

      Eliminar
  24. Em boa verdade te digo, acho que já te esticas o suficiente.

    ResponderEliminar
  25. Porque tens uma conversa demasiado intelectual, e aqui ninguém é mais esperto do que eu.

    Quem se armar em mais esperto do que eu, não brinca.

    ResponderEliminar
  26. Eu não sou mais esperta do que tu. Dá mais uma volta à franga, dá! :)))

    ResponderEliminar
  27. Junkie,uma adivinha.

    Quem disse isto?

    "Em nome da Selecção entrego-lhe esta camisola, e convidamos você para ir assistir a um jogo, tá?"

    (é a coisa mais linda que li nos últimos tempos)

    ResponderEliminar
  28. Isso é jóia para ter sido cuspida pelo Ronaldo, que ele é bem menino para isso e muito mais.

    ResponderEliminar
  29. ...dito pró Cavaco,o que torna a coisa mais deliciosa.

    Que grunho que é o Ronaldo, chiça!

    ResponderEliminar