quarta-feira, 23 de maio de 2012

Die Heuschrecke und die Ameise

Não é por nada em especial, e até é reprovavel, mas cada vez gosto menos dos alemães.
Tenho que reconhecer que os gajos têm mérito, mas a situação faz lembrar a estorinha da cigarra e da formiga, numa perspectiva diferente, uma variante em que a formiga se aproveita da tendência da cigarra para mandriar quando as condições a isso convidam, e oferece-se para financiar toda uma panóplia de excentricidades que mantenha a cigarra distraída.
Como todos sabemos, e os alemães parecem saber melhor que ninguém, o inverno pode tardar, mas acabará por chegar com todo o seu rigor. E chegado o inverno, como é? A formiga que tinha financiado as excentricidades, também está disponível para financiar o aquecimento?
O caralho!
Claro que a cigarra foi burra, e será novamente burra no próximo verão, mas entretanto a formiga, metodicamente, não perde de vista os seus interesses , entre os quais, ampliar o formigueiro certamente.

47 comentários:

  1. Mein Gott! Sag es mir, achas mesmo que temos "tendência para mandriar?"

    Junkie, nós também somos formigas e não somos mais formigas porque não não há onde carrear o nosso sustento.
    E se analisasse-mos o problema, por exemplo, sob esta perspectiva?

    http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=2535838&seccao=Pedro%20Tadeu&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco&page=-1

    Se calhar tínhamos era vontade de dizer à Merkel "verpiss dich!"

    Olha se a ideia do Churchill se tivesse concretizado...a Alemanha estava no ca-ra-lho!

    ResponderEliminar
  2. Escusas de escrever em alemão,que quem escreveu o título foi o tradutor do Google.
    E olha que o Pedro Tadeu parece concordar comigo, até acho que me imitou por antecipação.

    Cá a Malta até é trabalhadora, mas só se tiver que ser, porque se o pão for dado não nos importamos de onde ele vem, e até nem estranhamos se nos alimentarem a pão de ló. O problema é que a Malta habituou-se ao pão de ló, e agora custa roer côdeas, pois custa.

    ResponderEliminar
  3. Pois eu acho que os portugueses são tão bons e tão trabalhadores como os outros.
    Não espanta que quem tenha vivido um pouco melhor, sinta agora a diferença perante as dificuldades que vão diariamente surgindo, sem avistarem o ponto de viragem. Vamos fazendo sacrifícios, reduzindo o nosso padrão de vida ao básico, a ver o país mirrar. Para além das restrições, dos cortes, nada mais nos é apresentado por aqueles que nos representam e que têm o dever de encontrar as soluções.

    ResponderEliminar
  4. Será que viver para além das possibilidades é um crime? Será sinal de burrice? Até que ponto é aceitável usufruir sem pensar no dia de amanhã?
    Eu que estava a pensar pedir um empréstimo para comprar um Austin Martin e aproveitar as auto estradas, quiçá pedir também umas coroas para ir fazer as ferias da minha vida, enquanto estou vivo, e agora nem sei se o devo fazer, talvez até nem me emprestem o dinheiro. Foda-se!

    ResponderEliminar
  5. Ora bem! Não te chega um Audi, ou um BMW.
    Ainda acabamos a andar é de bicicleta, os mais sortudos; os outros, a pé.

    ResponderEliminar
  6. Cada vez sinto mais forte o chamamento da mãe terra, quando a Apple lançar a ienxada ou o itractor, converto-me definitivamente à agricultura, e abandono a minha pele consumista.

    ResponderEliminar
  7. Gosto do conceito de ienxada e nessa linha de pensamento te digo: a minha pátria é o fim-de-semana, adaptação do Fenando Pessoa para a minha versão tugo-preguiçosa.

    E quando é que o teu blog fica assim pró fofinho para hordas de gajas, incluindo eu, chegarem aqui começarem a adorar, do fundo do coração, os tuas postas e mandarem-te beijinhos?
    Já pensaste nisso?

    ResponderEliminar
  8. Desculpa lá Maggie, mas o meu blog é uma fofura, há é uma enorme falta de bom gosto que leva essa horda de gajas bajuladoras para outras paragens, além de que dispenso perfeitamente que me mandem beijinhos, se ainda alguma se oferecesse para me fazer um bico.... Ou melhor, um ibico.

    ResponderEliminar
  9. ahahahahahahahaha

    foda-se, caté perdi o fio à meada..

    ResponderEliminar
  10. ai que caraças, não foste nada demasiado fofo. Atingiste um nível de fofura bastante bom..

    ResponderEliminar
  11. Isa, encontrei o fio da tua meada!

    Agarra aqui!

    ResponderEliminar
  12. E tu Maggie, também podes agarrar aqui.

    Agora até rimei. Não sou tão fofo?

    ResponderEliminar
  13. Nós os portugueses, entre os quais eu me destaco, temos uma postura bastante vertical de estar na vida,diria mesmo que temos uma postura eréctil, só os princípios elevados nos movem.
    Onde me levará esta forma de estar? A nenhures talvez, e é para lá que me dirijo.

    ResponderEliminar
  14. Estás um poeta...
    Onde quer que essa postura te leve, penso que é, de qualquer modo,a melhor. Não queiras estar na vida curvado, não queiras.

    ResponderEliminar
  15. Tu, uma postura vertical? Devemos estar a falar de pessoas diferentes, como sempre.
    Ter de encarar pessoas que fingem ser verticais quando na realidade rastejam como vermes pegajosos, daqueles que até dá nojo pôr o pé em cima. E o que se faz? hum? ignora-se, manda-se à merda, diz-se a verdade - "és um fdp mentiroso" e esmaga-se o verme com as evidências.
    Agora não é contigo, não te preocupes.

    ResponderEliminar
  16. Isto sou eu num exercício de contenção. Calhou ser por aqui.

    ResponderEliminar
  17. Não é nada comigo mas apetece-me mesmo socorrer-me da adequada eloquência e perguntar:
    "mas que caralho é isto?"

    ResponderEliminar
  18. O anónimo também é fofo, além de que fico sempre naquela, e se o cabrão do anónimo é uma gaja boa? Ainda me pode render uma boa queca!

    Isto Maggie, é uma certificação de que no que diz respeito a sanidade mental, há quem esteja bem pior.

    ResponderEliminar
  19. Pode ser o início de algo...

    Na volta, estou aqui a ser testemunha de um grande amor. Até estou nervosa.

    ResponderEliminar
  20. Eu vou buscar as pipocas. Já volto.

    R Junkie, "agarra aqui" .. onde, méne? sim. onde??

    ResponderEliminar
  21. Nervoso estou eu. Ai com um caraças.

    ResponderEliminar
  22. "nervoso", com "o"? ai que confusão!

    julguei que era nervosa...

    ResponderEliminar
  23. Bem, se é amor é comigo, que eu atraio essas merdas, e como se vê não estou muito enganado, senão veja-se o anónimo a ficar nervoso. Só me faltava esta agora.


    E a amiga Isa, não me diga que não conhece aquela expressão tão tipicamente masculina "agarra aqui", mas por onde tem a menina andado? Algum convento onde não houvesse onde agarrar?
    Olhe que se a menina estivesse para fazer anos brevemente ainda consideraria oferecer-lhe algo a que se agarrar, algo com vida própria, tá-me a ver a coisa?

    ResponderEliminar
  24. Tu tens aqui Anónimos que são Anónimos e Anónimos que são Anónimas.
    Isto enfarilha os neurónios a uma pessoa! E os meus que são tão pouquinhos e mirados, tadinhos.

    ResponderEliminar
  25. Deixa lá Maggie, podes ter neuronios mirrados, mas aposto que tens umas big boobs, então pois não tens? Tens pois!

    Já ali o anónimo e a anónima, bem, o que dizer? Nem a mim ocorre o que quer que seja, julgo até que pode ser uma forma de vida alienígena a tentar comunicar.

    ResponderEliminar
  26. Tu põe-te mas é a pau que ainda vais ser mas é abducted.
    Criaturas verdes e assim, tás a ver. Olha que não estou a falar da equipa do sporting.

    ResponderEliminar
  27. Poder, pode ("render"). Queres? É a melhor terapia para estados "explosivos" e não só.
    Anónima gaja muitíssimo boa

    ResponderEliminar
  28. Pode render. Queres? É a melhor terapia para estados explosivos e não só.

    Anónima gaja muitíssimo boa

    ResponderEliminar
  29. Não aparece e depois aparece? Mau.

    ResponderEliminar
  30. Maggie, tu não me mandes por a pau, que eu se me ponho a pau, é logo pau feito, não sei se me estás a ver a coisa. E abducted parece-me ser assim uma coisa tão, castradora.

    ResponderEliminar
  31. Ninguém me disse o que fazer aos vermes pegajosos, portanto aceito a queca.

    Agora quero ver como é que te safas desta.

    ResponderEliminar
  32. Sabes anónimo fêmea, eu tenho cá para mim que todos os anónimos fêmea são gajas podres de boas.
    E ninfomaníacas também.
    E ricas.
    E inteligentes.
    E boas cozinheiras.

    ResponderEliminar
  33. Quanto à queca tira senha e aguarda.

    Tempo de espera inversamente proporcional ao tamanho das tuas boobs.

    ResponderEliminar
  34. Já estás a desviar a conversa.
    Eu sou boa em tudo a que me predisponho a ser, haja motivação. Quanto a rica, a história é outra e também esmagava mais uns vermes.

    A minha queca?

    ResponderEliminar
  35. Quem tira a senha és tu, isso devia ser evidente para qualquer gajo inteligente.

    Um gajo que é gajo implora, rasteja, contorce-se, rebola, dá a patinha e não só mas NUNCA me manda esperar, ok?

    ResponderEliminar
  36. Ok, eu não te mando esperar, vai andando que eu vou lá ter.

    ResponderEliminar
  37. Eu vou pa dentro que ainda não tenho idade para ver coisas destas.


    (Junkie, palpita-me que vais levar com chicote...)

    ResponderEliminar
  38. Hum, hum. Já estou a caminho como podes imaginar.

    ResponderEliminar
  39. Isto é como as telenovelas, enrola enrola mas não acontece nada, neste caso, acho que nem no último capítulo.

    ResponderEliminar
  40. Se decidirem juntar os trapinhos, eu e Isa seremos damas de honor.
    De momento, ainda estamos indecisas em relação à cor dos vestidos: http://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/N8b0221c3/2538063_NYPhr.jpeg

    ResponderEliminar
  41. Sexo está muito longe de ser tudo mas que ajuda quando se está toda descompensada, ajuda. E há outras coisas também que ajudam mas há muito que aprendi a deixá-las nos segredo dos deuses que é por causa de coisas.

    ResponderEliminar
  42. Foda-se!

    É que não me ocorre mais nada.

    ResponderEliminar
  43. Pois não, o sexo não é tudo. Também há a literatura, o cinema, a música, viajar, ir à praia, ir jantar fora e sei lá que mais. Se no fim de todas essas coisas houver sexo, a vida fica muito mais interessante, com mais brilho.

    Enfim, tanto se poderia dizer sobre sexo...

    (Junkie, gostaste desta frase final? até pareço uma sexóloga a dizer frases ocas e bacocas)

    ResponderEliminar
  44. Olha lá, esse foda-se é o quê? Tens alguma coisa contra as damas de honor supra?

    ResponderEliminar
  45. Pá, este Foda-se é para a situação em si, e perguntas-me tu, que situação?
    Esta merda de andar para aqui um anónimo a modos que a fazer-me convites sexuais.
    Foda-se.....

    De resto as damas de honor são supimpa, do melhor que poderia arranjar num sítio como este blogue.

    ResponderEliminar