terça-feira, 15 de maio de 2012

o charco revelado

Esta coisa da internet não existiu sempre, é coisa relativamente recente na perspectiva de um gajo da minha idade, e verdade seja dita, foi coisa desinteressante para mim ainda durante alguns anos. 
Por via das circunstâncias, aqui irrelevantes, comecei a navegar na net, e o meu primeiro contacto com a comunicação virtual foi num chat, um chat onde havia um sala chamada charco.
Numa época em que os chats já começavam a passar de moda, para mim aquilo era completa novidade, um sitio de comunicação virtual onde só não valia tirar olhos.

4 comentários:

  1. ai ca giro, ó Junkie, já pensaste em lançar os búzios, cartas de tarot, interpretar manchas de café e coisas do género? devias pá, devias, acho que nasceste com os dons da Maya. À falta de melhor, joga no euromilhões. Os teus dotes divinatórios estão em alta, aproveita.

    O charco agita-se, oh yeah!

    ResponderEliminar
  2. Tá-lhe a dar...

    Já agora, gostaste da experiência de ir ao fundo comigo?

    Ser censurado é um velho hábito, que adquiri no tal charco, vê só como são as merdas.

    ResponderEliminar
  3. Adivinhaste, tás a ver, tenho razão. Foi giro ir ao fundo e voltar.

    Ser censurado/a é uma experiência interessante sobretudo quando a censura incide não sobre a mensagem mas sobre o mensageiro.

    ResponderEliminar