quarta-feira, 25 de julho de 2012

Porque foram tão más comigo?

As técnicas de eliminação dos resíduos tóxicos deixados pelos eventos desagradáveis deviam fazer parte da formação básica do cidadão comum. Haver inclusa nos conteúdos programáticos educacionais uma vertente que muna cada um de armas, ferramentas, argumentos que ajudem o vulgar ser humano a ultrapassar os aparentemente intransponíveis obstáculos psicológicos que vamos, e nos vão sendo criados ao longo da existência, seria muito mais importante que outros conteúdos programáticos como por exemplo saber como raio se conjuga um pretérito mais que perfeito. Tivesse eu sido capaz de lidar com alguns desapontamentos na área das relações, e não andaria aqui a semear estas porcarias, sendo, julgo eu, mais feliz, até. Claro que nada disto desculpabiliza atitudes de outros que nos levariam a precisar de tal formação académica, mas como diria o primeiro ministro, que se lixem os outros, o que interessa é nós.

2 comentários:

  1. Rejeito a aprendizagem pelo sofrimento e apetece-me dar pontapés a quem apregoa que para nos levantarmos temos de ter caído primeiro, o que é uma rotunda mentira porque também nos levantamos da cama, depois de uma boa soneca, ou de repousarmos o esqueleto no conforto do sofá.
    Tudo isto para dizer que o sofrimento é uma merda, o sofrimento provocado pelos tais "resíduos tóxicos" é merda em dobro.
    Que fazer?
    Não sei bem.
    O que me ocorre logo é carpe diem, evitando ao máximo a angústia da previsão.
    Que raio, estamos no mundo entregues a nós próprios e não podemos claudicar, desistir de quem ou do que nos faz feliz, seja lá isso o que for.
    Acredito que não existe a pessoa certa,única, no lugar x, à hora y, para nos dar sentido à vida.
    Muitas pessoas, seguramente, serão "o tal" ou "a tal", únicos enquanto o amor durar.
    Junkie, "we shall never surrender" :)

    ResponderEliminar
  2. Nunca!!

    Continuarei até não haver gaja à face da terra que não me tenha repudiado.

    Serei abominável até à exaustão.

    E no fim certamente serei recompensado com uma gaja capaz de me aturar, amén!

    ResponderEliminar