quinta-feira, 5 de julho de 2012

A ver

O tribunal constitucional é função publica, e no pleno direito das suas competências decidiu que é inconstitucional o corte dos seus subsídios, bem como à restante função publica, no entanto sendo inconstitucional, que é uma coisa parecida com ser ilegal, vai acontecer este ano, porque blablablabla, e tem que ser. Ou seja, a função publica decidiu que este ano aceita os cortes, mas para o ano que vem os cortes são para toda a gente. Se calhar há alguma justiça nisso, ou não, todavia não é isso que está em questão, pois não? Por outro lado quem tomou a decisão foi uma entidade denominada tribunal...... E quando se fala em tribunais em Portugal, tudo pode acontecer.

7 comentários:

  1. A questão reside no princípio "ou há moralidade ou comem todos". Ora bem vistas as coisas, o TC quer é que comam todos enquanto que o que interessa(a quem trabalha) é que haja moralidade.

    ResponderEliminar
  2. Porque é que parece que tudo isto serve somente para justificar que os subsídios desapareçam para toda a gente?

    ResponderEliminar
  3. Podem não desaparecer os subsídios,para não contrariar o disposto na constituição, mas aplicam uma taxa, a todos, que vai sacar o mesmo montante.
    O Passos já deu isso a entender.
    Só descansam quando o país estiver todo privatizado e miserável.
    É pura incompetência.

    ResponderEliminar
  4. Miserável já está, falta só privatizar.

    ..hã?

    Mais animaditos?

    ResponderEliminar
  5. Se tiverem um pouquinho de tempo vejam isto.
    Ficamos a entender melhor porque é que esta merda toda vai pelo ralo com uma pinta do caraças.
    As notícias da morte do país, infelizmente, não são exageradas.

    http://esquerda-republicana.blogspot.pt/2012/07/mais-denuncias-de-paulo-morais-sobre.html

    * para as meninas: não liguem ao cabelo do senhor para não se desconcentrarem :)

    ResponderEliminar
  6. Junkie, é só mais esta coisinha:

    "A contabilidade salarial é sempre mal contada: os portugueses não são privilegiados que recebem 14 salários em 12 meses; têm, sim, um salário anual que é dividido por 14 e não por 12. Tirar dois subsídios não é cortar mordomias, é baixar o salário em 14,3%."

    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=566583&pn=1

    ResponderEliminar
  7. Quem estiver atento à comunicação social é constantemente bombardeado de opiniões, umas mais convincentes que outras, mas houve uma opinião, expressa por mais que uma pessoa, que me ficou encravada, qual espinha atravessada na garganta, que é nem mais nem menos a opinião de que é imprescindível que haja uma redução salarial em Portugal, para que o país se torne mais competitivo.
    É triste que o destino do país passe por competir no campeonato dos amendoins, mas parece que estão a abrir a porta dessa saída.

    ResponderEliminar