quarta-feira, 17 de outubro de 2012

E se de repente?

E se de repente todos os descontentes com a actual situação económica do país passassem a certificar-se que só consumiam o produzido em Portugal?
O mais banal, um copo, um guarda-chuva, uma maçã, um isqueiro. Só em situações sem alternativa compraria importado. Compraria só o nacional, mesmo que isso por vezes significasse comprar menos barato.

Isto é das coisas que nunca vão acontecer assim de repente, mas porque não acreditar que seja essa a solução? Acho que vou esmerar-me ainda mais na procura do produto nacional, portanto, gajas estrangeiras que me estejam a ler, ficam desde já a saber que de mim não levam nada, a não ser talvez, sexo puro e cru.

Voltando à epifania, sim, estou convencido que ajudaria muito mais, e nos custaria muito menos que tanta austeridade, mas fazer o quê? O povo é burro! 
Povo onde me incluo....

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O lado positivo

Hoje tivemos mais novidades no que diz respeito aos cortes para 2013, ano que se começa a adivinhar horribilis. Contas feitas por alto, até me custa acreditar que se possa tornar realidade, já vejo as nuvens negras a pairar sobre este povo, vai ser fodido, muito fodido.
Mas, porque em tudo há um mas, e retomando o primeiro post da minha vida, talvez não seja bem assim.
E se o mundo acabar mesmo em vinte e um de Dezembro como acredita muito boa gente por esse mundo fora? Era um duro golpe para esses cabrões que nos andam a foder, além de não nos gamarem nem mais um tuste, pelo menos uma vez na vida, todos seriamos tratados da mesma maneira, era fodido, mas era justo.
Como se diria no típico comentário saloió-português, "temos que ter fé".

sexta-feira, 5 de outubro de 2012