sábado, 15 de agosto de 2015

Por estes dias

Verão 2015, apesar de hoje estar cinzento, tem sido sêco e quente.
Tenho andado a ler um livro, secante, muitos personagens e pouca atenção de minha parte. Comprei-o para ler nas férias, e assim tem sido, umas páginas de vez em quando, lidas a saltar parágrafos aqui e ali, mas o suficiente para seguir a acção, que não me consegue cativar.
A praia, o meu destino de eleição nesta altura, não me apetece. O mar parece-me pouco apetecível, os vacances estão por todo o lado numa alegria esfuziante, em pacotes familiares, de onde se houve o inevitável grito "Michel vien ici, senão ton père fode-te as costas", e é tanta a alegria aos gritos, que torna qualquer outro bem estar impossível, e o sol, que sempre apreciei apanhar em doses industriais, incomoda-me, sinto que me faz mal, tornou-se desagradável o antes apreciado banho de sol. Mas continuo a ir ver o mar, algumas vezes por dia, como se fosse a única coisa que valha a pena fazer.
Evito comer demasiado, e beber em excesso, mas não me inibo, nem disso, nem de outros prazeres, mas sempre a moderação a imperar, ou então a idade a não deixar, pois.
Aqui hà dias, numa esplanada, numa mesa ao lado, um grupo de jovens conversava animadamente, e às tantas, sem que estivesse particularmente atento ao conteúdo da conversa, apercebi-me que um deles tentava explicar algo aos outros, e não estava a ter grande sucesso. Muitos movimentos com os braços, muitos sorrisos, falava sobre si mesmo, de como se achava bem, mas que quando devia ir por ali, não era capaz. Falava o moço da sua dificuldade em declarar amor, e nenhum dos seus seus interlocutores estava a apanhar a coisa, e pelo que percebi a conversa seguiu em frente sem que ele se tivesse feito entender, aliviado, porque às tantas não devia saber como se tinha metido naquela alhada. Eu percebi tudo aquilo porque tenho poderes.

Continua.....


2 comentários:

  1. "Mas continuo a ir ver o mar, algumas vezes por dia, como se fosse a única coisa que valha a pena fazer."

    Adorei.

    "Eu percebi tudo aquilo porque tenho poderes."

    Nesse apecto, somos todos super-heróis da Marvel.


    "Continua....."

    Quando pá?!



    ResponderEliminar
  2. Somos todos super heróis? Tu és assim uma coisa parecida com isso, mas eu não, eu só tenho poderes.
    Quanto ao continuar, lá para o Natal tenho novamente férias, portanto este ano ainda conto ter mais alguma coisinha para postar.

    ResponderEliminar